DestaqueGuias

Proxmox VE: Cluster KVM/OpenVZ/DRBD sem Storage externa

Introdução

Proxmox Virtual Enviroment é uma plataforma de virtualização open source e que tem como base Debian.

Neste artigo explico como se cria um Cluster de virtualização, sem ser necessário storage externa.

Proxmox VE é composto por uma forma de virtualização, com KVM e uma forma de containers, com OpenVZ.

Para este artigo, vou-me focar apenas em KVM, pois vou instalar um kernel de Linux que não tem suporte para OpenVZ, mas tem mais vantagens em KVM, como a inclusão de KSM.

No entanto, se o utilizador quiser ter acesso às duas tecnologias no cluster, basta não instalar o kernel optimizado para KVM e ficar com o kernel default do Proxmox VE.

Antes demais, é preciso explicar que tecnologias vamos estar a usar:

KVM é um “hypervisor” tipo 1, isto é corre directamente no hardware da máquina, que está incluído no kernel de Linux.

Ao contrário de Xen, todas as funcionalidades foram integradas no kernel e as empresas que mais ajudam no desenvolvimento deste “hypervisor” são a Red Hat e a IBM.

OpenVZ é uma tecnologia de containers. Isto é, uma forma de ter uma máquina isolada dentro de Linux e que só é dependente do Kernel.

OpenVZ nunca foi incluído no kernel e são necessários patchs ao kernel de Linux para o usar.

A vantagem de OpenVZ é que não há quase perca de performance, porque a máquina é como se fosse um programa isolado a correr dentro de Linux. A desvantagem é que só se pode correr Linux em OpenVZ.

A vantagem de KVM é que no hardware certo, pode correr qualquer Sistema Operativo. A desvantagem é que há uma perca de performance em relação a uma máquina a correr directamente sobre o hardware, apesar de, usando dispositivos virtuais do próprio KVM, pode-se diminuir em muito essa pequena perca de performance.

Para criarmos um cluster sem ser necessário storage externa, vamos usar DRBD.

DRBD é uma forma de replicar um volume de disco, por diferentes máquinas, usando uma ligação de rede para tal.

É uma forma de ter alta disponibilidade e pode ser visto como sendo um dispositivo Raid 1, que em vez de estar na mesma máquina, está em máquinas diferentes.

Proxmox VE é o que vai fazer a ligação destas vários tecnologias.

A sua base é Debian 5, integrando na instalação e configuração estas várias tecnologias e dando ao utilizador final um interface Web, onde pode configurar e usar como gestor das máquinas virtuais ou containers de Linux.

 

Requisitos mínimos

Para criarmos um cluster sem storage externa, são precisos alguns requisitos a nível de hardware. Estes são:

– Dois computadores, se possível com o mesmo fabricante dos processadores e da mesma geração.

– Os processadores têm que ser 64 bit e suportar Intel VT ou AMD-V.

– Se possível, a mesma quantidade de memória Ram, nos dois computadores, apesar de isto não ser obrigatório.

– Dois discos em cada máquina. Um pequeno para a instalação do sistema operativo e outro, maior, onde vão ficar as máquinas virtuais e onde vai ser configurado o DRBD.

– Duas placas de rede. Uma para a ligação externa e outra para a sincronização de DRBD. Esta última pode estar ligada por um cabo cruzado ou um switch, caso sejam mais que duas máquinas.

1 2 3 4 5Página seguinte
Etiquetas

Artigos Relacionados

Close
Close