AnálisesDestaque

Westone 4 – Auscultador Quad-Driver

Os equipamentos foram testados na maior parte do tempo em ambiente silencioso para uma análise pormenorizada. Foram também realizados testes no exterior para determinar o conforto e isolamento dos diferentes modelos. Durante a análise existem referências a outros modelos da mesma gama dos Westone 4: os Earsonics SM3 e j-phonic k2 SP como concorrentes diretos; e os Earsonics SM2, Sennheiser IE8, Westone UM3x como complemento.

Introdução

O Westone 4 é o modelo mais recente adicionado à série de modelos universais da Westone. Este modelo passa a ser o topo de gama da marca na série Personal Listening. Em comparação com o modelo precedente, o Westone 3, o Westone 4 incorpora duas balanced armature por canal para a gama baixa de frequências (de um total de 4 por canal – 2 woofers, 1 mid-range, 1 tweeter), em vez de uma única. Esta opção não tem como objectivo aumentar a amplitude desta gama em relação ao modelo com apenas um driver dedicado, tem sim como objectivo aumentar a “qualidade” e tornar o som mais neutro em relação ao Westone 3. Para isso, em vez de se optar por um driver de maiores dimensões para servir de woofer, a Westone optou por dois micro-woofers contribuindo efetivamente para um som mais neutro, fiel, com tempos de resposta e de decaimento mais curtos.

Especificações

Sensibilidade: 118 dB SPL

Resposta em frequência: 10Hz – 18kHz

Impedância: 31 ohm (1kHz)

Driver: 4 balanced armature com crossover de 3 vias

Cabo: Cabo Westone EPIC entrelaçado de 3,5 mm + adaptador 3,5mm – 6,35 mm.

Preço recomendado: $639

Acessórios

• Bolsa de transporte em tecido reforçado

• Adaptador de 3,5mm para 6,35 mm

• Atenuador de volume

• Ferramenta de limpeza

• Tips variadas: tips silicone “bullet” (cinzentas), tips silicone “mushroom” (transparentes), um par de triple-flange

• Foams: Comply® P (L,S) e T100 (S, M, L)

Conforto/Isolamento/Qualidade de Construção

O Westone 4, como é comum nos modelos da gama Personal Listening, inclui uma grande quantidade de acessórios de excelente qualidade, dos quais se destaca a grande variedade de tips e foams fornecidas na embalagem (fit kit). O cabo é do tipo fixo, entrelaçado, com strain-reliefs em todos os pontos de ligação estando bem dimensionadas e de grandes dimensões. O corpo do auscultadores é robusto e tem uma pintura em preto glossy, não demonstrando qualquer fragilidade.

Apesar do volume do corpo do auscultador ser acima da média, a sua forma permite que sejam um dos modelos mais confortáveis que testei. Mais confortáveis que os Earsonics SM3 V1, mas não tão confortáveis como os j-Phonic K2 SP, sendo que a diferença para os j-Phonic é baixa (classifico os j-Phonic K2 como sendo o modelo mais confortável que testei). O ângulo do nozzle (tubo de saída do som) em relação ao corpo do auscultador é de 90º, contribuindo para um ajuste perfeito ao pavilhão auricular.

As maiores dimensões do corpo do auscultador ajudam, neste caso, na obtenção de um melhor isolamento, permitindo que um menor ajuste da tip ao ouvido não prejudique tanto o isolamento como noutros modelos. Nenhuma das tips de silicone fornecidas proporcionou um isolamento a 100 por cento, para tal recorri às double-flange da Earsonics. Em última hipótese recomendam-se as foams Comply do tipo T ou tipo P fornecidas. De todo o conjunto, as foams do tipo P são as que proporcionam melhor isolamento, mas afectam o som, não tanto no corte das frequências mais altas, tornam o som menos transparente.

Audições

Fontes Utilizadas: iPod Classic 120 Gb, Sansa Clip+

Gama Baixa

A Gama baixa tem resolução e transparência, dando enfâse ao detalhe e separação em vez da quantidade. A textura é boa, mas inferior à dos SM3. Mais ar na gama baixa, mas bastante menos energia que os SM3. As notas nos SM3 são mais cheias, o som é mais líquido, é uma gama mais destacada nos SM3. Nos Westone 4, os graves ouvem-se com maior resolução, enquanto que nos SM3 são ouvidos e sentidos, embora a resolução seja menor nas passagens mais rápidas, estes são mais enérgicos e mais envolventes, sem serem demasiado extensos. Os graves dos Westone 4 são mais rápidos, devendo-se ao facto de os SM3 terem mais textura, tempo de resposta semelhante, mas tempo de decaimento maior semelhante aos modelos dinâmicos, traduzindo-se num som mais natural em termos harmónicos. Os SM3 ao contrário dos Westone 4, dão ênfase à energia em vez da “fidelidade de som”, corretamente implementada nos Westone 4. Os Westone 4 são capazes de processar melhor o conjunto, enquanto que os SM3 reproduzem melhor um instrumento individualmente.

Gama Média

No meu caso, da enorme variedade de tips fornecidas com os Westone 4, nenhuma me satisfez, pessoalmente. Não em termos de qualidade sonora, mas sim em diferenças em termos de apresentação sonora, dando origem a duas análises particulares para esta gama em função das tips de silicone escolhidas.

Os Westone 4 foram desenvolvidos com o objectivo de serem o melhor modelo universal, tendo uma assinatura consensual, usando o mesmo conceito dos Phonak PFE 1xx, mas elevando a qualidade técnica uns graus acima. Assinatura sonora equilibrada, mas uma apresentação sonora típica de quem não quis arriscar sendo também pouco envolvente.

A assinatura sonora dos Westone foi comparada com a dos Phonak PFE. É errado comparar diretamente as qualidades destes dois modelos, dado que os Westone 4 se destacam facilmente em termos técnicos face aos Phonak PFE com os filtros cinzentos, mas ao ponto de justificar um investimento tão alto? Na “alta fidelidade” de auscultadores, um pequeno upgrade implica passos de uma ou mais centenas de euros, alguns justificam com a alteração de apresentação e/ou assinatura sonora e melhoria das qualidades técnicas, os Westone 4 melhoraram bastante a apresentação sonora e as qualidade técnicas em relação aos Phonak, não em termos de assinatura.

A assinatura dos Westone 4, é a par dos Phonak uma das assinaturas mais consensuais que se pode encontrar. Não geram uma relação amor/ódio como acontece noutros modelos. Tecnicamente são irrepreensíveis e permitem uma audição fácil de todos os géneros musicais. Diria que quem goste de ter mais que um in-ear para utilizar em diferentes géneros musicais, ficará bem servido apenas com os Westone 4. No meu caso particular, prefiro ter vários modelos, dado que os Westone 4 cumprem na reprodução musical, mas não têm um ponto que me desperte um interesse maior.

Com as tips originais silicone “bullet” cinzentas:

Os médios são mais recuados em relação aos SM3, UM3x, K2 SP (normalmente definidos como monitores da gama pro), semelhantes aos IE8, ao contrário das outras gamas, que estão ligeiramente mais próximas, mas nunca frontais. A imagem espacial dos W4 ultrapassa a dos IE8, diria que são facilmente melhores que os IE8 em todos os pontos, excepto na textura na zona dos graves. Ambos têm uma apresentação extremamente agradável e confortável, como se estivéssemos nas filas de trás de uma sala. Os médios desta gama não destacam o detalhe, não são tão ricos e líquidos como os SM3, o que não implica que sejam incompetentes neste aspecto, antes pelo contrário. Não há qualquer influência das outras gamas nesta zona de frequência. Nunca são envolventes, apesar de serem afastados não têm a resolução esperada. O brilho das guitarras nesta gama, é superior nos W4 em relação aos SM3.

Com as tips double-flange da Earsonics:

Com as tips dos SM3, os médios são mais quentes e próximos, sem chegarem ao extremo dos UM3x, continuando a ser mais afastados que os SM3. De acordo com as minhas preferências pessoais, encontrei o melhor compromisso com as tips da marca da concorrência… Os médios são mais definidos e melhoram a resolução. Os médios tornam-se mais abertos e menos velados, havendo o melhoramento do detalhe, mas não se afastando em demasia da assinatura sonora com as tips originais (“bulletI”).

Os médios dos SM3 são mais cativantes, embora podendo tornar-se cansativos após um longo período de utilização, devido à maior proximidade e envolvência. Os médios dos W4 são mais relaxados e permitem uma maior concentração na música no seu todo. Encontrei o balanço perfeito em termos de posicionamento nos Earsonics SM2 e nos j-phonic K2 SP, embora estes dois modelos tenham características na gama média diferentes (SM2: médios cheios e ricos mais afastados que os SM3; K2: boa resolução, claridade e definição superior a qualquer outro modelo, com o mesmo posicionamento dos SM2).

Gama Alta

Os médios dos W4 são menos atenuados que os dos SM3, são mais extensos, têm mais ar e brilho. Não se pode comparar os agudos e o brilho dosW4 aos agudos dos chamados “iems com carácter analítico”, sendo esta uma das vantagens dos W4 em termos de conforto sonoro. O sparkl é definido, embora menos realístico que o dos SM3 (os SM3 têm um pouco mais de peso dos pratos e som de caixa nos violinos, isto é, o som do instrumento estende-se por uma banda de frequência maior apanhando também as frequências mais baixas). Os agudos têm uma apresentação correta, não sendo afastados como os dos SM3.

Imagem Espacial

Este é o ponto em que os W4 se destacam em relação aos outros modelos com os quais são comparados. A imagem espacial é muito equilibrada e a separação está a um nível superior. Facilmente obtemos a sensação de layers de som, o som ainda está “dentro da cabeça”, mas bastante menos comparativamente aos outros modelos, excepto os IE8 que estão num nível semelhante. A sensação de palco é ampla para um in-ear, dado que a posição do ouvinte é a mais afastada da acção, óptimo para grandes orquestras.

Imagem Espacial – comparativo

Earsonics SM3: De dentro da acção para fora, em cima do palco, 3D.

j-Phonic K2 SP: Informativa. Destaca todos os pormenores da acção em palco, com ênfase no detalhe.

Westone 4: A fonte está afastada da recepção, mas focada. Menos ênfase no detalhe, privilegiando o conjunto.

Preferência por género

Electrónica, Jazz: SM3

Rock: K2 SP

Westone 4: Funciona em todos os géneros, mas sem serem excepcionais, excepto na reprodução de concertos de grandes orquestras.

Recomendações

• Quem prefira modelos com carácter analítico ultrapassando a própria definição de analítico tornando-se até cativante pela excelência técnica: j-Phonic K2 SP

• Quem tenha apetência por modelos com mais grave e por um som mais envolvente: Earsonics SM2 e Earsonics SM3

• Som equilibrado, com a imagem espacial em destaque e afastada: Westone 4

Nota pessoal

Ter tido a possibilidade de ter ouvido na mesma altura três dos melhores modelos com tecnologia BA(balanced armature) atualmente disponíveis no mercado foi uma experiência interessante, mas difícil. Fazer criticas a qualquer destes modelos torna-se complicado dado não haver consenso em termos globais. A explicação não é complicada, são três modelos de continentes diferentes e cada um vai apelar a um determinado mercado.

Confesso que o Westone 4 foi o modelo que menos me impressionou dos três. Não fazem nada de cativante, ao contrário dos SM3 e K2 SP. Mas um determinado aspecto que eu ache cativante, irá certamente criar opiniões contrárias à minha. Embora os W4 não me tivessem cativado, confesso que fariam facilmente a vez de uma coleção de vários in-ear, apesar de continuar a preferir manter uma coleção bem pensada por géneros musicais. Quem quiser o modelo mais abrangente, ficará bem servido com os W4, não tendo o refinamento dos K2 SP nem a energia dos SM3.

É interessante como três modelos da gama alta têm diferentes maneiras distintas de reprodução de som. A ideia utópica de reprodução do som correto não existe para já nos in-ear no mesmo patamar de qualidade/preço, existem aproximações. Existe a ideia na cabeça de alguns audiófilos a existência do som perfeito, existem os tecnicamente habilitados para chegarem ao resultado perfeito e existem os esclarecidos, que se dedicam à venda deste tipo de equipamentos.

Os Westone 4 estão disponíveis na Zwame Selection Store da Amazon.co.uk.

Etiquetas

Artigos Relacionados

Close
Close