ArtigosDestaque

Lançamento dos Processadores AMD Opteron 6200 e 4200 Series


A AMD deu hoje a conhecer a nova linha de processadores da gama de servidores. Sem surpresa são baseados no Bulldozer e a AMD pretende que as empresas vejam estes processadores como os processadores certos para a Cloud. Serão mesmo?

O maior desafio da AMD no imediato é ganhar market share. Recentemente despediu cerca de 10% dos seus empregados e o Bulldozer foi um lançamento bastante fraco. Não é o concorrente da Intel que se esperava e que a AMD necessita para melhorar a sua presença no mercado.

A realidade dos Datacenters actuais e o futuro

Com o aumento da performance dos processadores, empresas de tecnologia e Internet no geral com mudanças significativas nas organizações há enormes diferenças para o passado. Hoje com a vitualização é possível ter servidores mais pequenos, mais económicos, balanceados em termos de recursos consumidos e desempenho. Com as ligações à internet cada vez melhores e com a descentralização dos trabalhadores a Internet é a extensão dos escritórios de antigamente.
Mas isto trás um novo desafio que é o de reduzir custos e a virtualização e a centralização na Cloud podem permitir grandes ganhos para as empresa…

Os servidores actuais e do futuro próximo devem ser flexíveis, no sentido de serem poderosos, escaláveis, optimizados para virtualização e que funcionem com um socket e que consigam escalar até quatro sockets. Se não há dúvida que uma parte terá que ser feita com software apropriado a guerra em termos de hardware é um ponto importante. O consumo energético dos equipamentos é fundamental e tem provavelmente o maior peso nos custos ficos no Datacenter mas também o calor dissipado e que tem que ser eliminado através de ar condicionado potente conta na factura final. Muitas vezes esquecemo-nos da robustez que os datacenters têm que possuir para que funcionem 24 horas por dia sem interrupções.

Tecnologia

 

Do ponto de vista técnico o trabalho da AMD foi gigantesco. este é um processador muito complexo. A imagem acima é aquilo que a AMD chamada de “módulo” que corresponde a dois cores. A amarelo estão as unidades de inteiros (duas), ao centro a unidade de vírgula flutuante (partilhada). Na parte da frente o frontend e na parte inferior a memória Cache L2 e L3. A vantagem deste design se olharmos para a performance do Bulldozer que foi lançado para desktop não está a ser tão imediata como a AMD esperaria. Mas esta construção modular parece ser um caminho interessante. Mas não é a única.

As vantagens estão ilustradas na imagem. Enumerarei algumas mais significativas:

AMD Turbo CORE Technology. O Turbo é “inteligente” e aumenta até ao limite de TDP. No caso de estarem os 16 cores a serem utilizados ele aumenta entre 300 e 500MHz. No caso de por exemplo estarem a ser utilizados apenas 8 dos 16, esse aumento pode chegar a 1GHz. Isto optimiza a performance dentro do TDP estabelecido.

Novas Instruções. A AMD além das instruções SSSE3, SSE4.1, SSE4.2, AESNI. PCLMULQDQ e AVX que existem também nos processadores Intel reclama para si as instruções FMA4 que servem para multiplicação de vectores e matrizes, avaliações polinominais, química, física, mecanismos quânticos e processamento de sinal digital e das instruções XOP utilizadas em aplicações numéricas, multimédia e algoritmos usados para audio/radio.

TDP Power Cap. Como a nível de datacenter o consumo é contratado, isto permite comprar os processadores com mais performance mas ajustar o consumo de modo a não ultrapassar o valor de energia contratado. Isso ou aumentar o número de servidores. Os incrementos podem ser definidos até 1W. Em muitos cenários a performance mantem-se.

C6 state. Desliga cores que não estão a ser utilizados reduzindo o consumo.

1P to 4P with same platform and chipset. A utilização do mesmo chipset deve representar uma redução dos custos na plataforma, sendo que será de esperar que no próximo ano sejam lançados novos chipsets que tirem melhor partido destes processadores.

O que é hoje anunciado?

A imagem acima resume o lançamento da AMD. Duas famílias de processadores. Por um lado o AMD Opteron 6200 que pode ser usado em motherboards com até 4 sockets e processadores que vão até aos 16 cores. É o primerio processador com 16 cores para servidores do mercado. Quatro canais de memória. Velocidade até 3.3GHz com AMD Turbo que pode ir até aos 3.6GHz. Consumos entre 85W e 140W. A familia da série 4200 aposta claramente num mais baixo consumo e de um modo geral com menores especificações como seria de esperar. Os 16 cores de máximo passam a 8. O limite de sockets passa para 2, dois canais de memória e o consumo começa nuns muito interessantes 35W até aos 95W.

A AMD no lançamento anunciou outros números tal como 84% mais de performance quando comparado o AMD Opteron 6276 com o Intel Xeon X5670 no Benchmark LINPACK (2P). Mais 73% de bandwidth e vantagens no consumo, espaço no datacenter (que é algo também muito importante na hora de avaliar os custos), mas estas comparações atendendo que são feitas pela AMD preferimos ver os valores de terceiros. Também dizer que a comparação é feita com a geração actual da Intel e que a comparação justa terá que ser feita com a próxima geração de processadores da Intel.

Virtualização

Este é um aspecto cada vez mais importante. A AMD promete suportar as diversas soluções no mercado tais como: Microsoft Hyper-V, VMware vSphere, Microsoft Remote FX, VMware View, XEN, KVM. A densidade de cores também pode ser uma grande vantagem. Mais máquinas virtuais a usarem menos cores é muitas vezes a melhor solução.

Web/Cloud

Anunciado também suporte para Windows Azure, LAMP Stack, Java, Hadoop, OpenStack. Vantagens da plataforma: consumo versus densidade de cores.

A AMD revelou ainda alguns números da sua Cloud privada. É constituida por 115 mil cores e dá suporte a milhares de engenheiros por todo o mundo. Executa mais de 40 milhões de tarefas por mês. Todos os projectos de engenharia da AMD residem na Cloud.

 HPC

HPC é sinónimo de High Performance Computing. Aqui os custos são medidos em tempo que demoram a ser feitas as tarefas. É uma área muito específica com necessidades diferentes. Muitas vezes recorre-se ao poder das placas gráficas desenvolvidas para o efeito. Apesar do lançamento ser feito hoje a AMD refere que já está a fornecer vários clientes importantes que se encontram no TOP 500 dos supercomputadores. Entre eles vários laboratórios do Departamento de Energia e de defesa dos EUA, a Iniciativa HECToR na Europa e a Universidade de Estugarda na Alemanha.

Comentário

A AMD vira uma nova página na sua estratégia para aumentar a sua presença no mercado de servidores com o lançamento de duas famílias de processadores baseado na plataforma Bulldozer. A serie 6200 e a serie de 4200 são a resposta para datacenters muito eficientes. Enfoque na virtualização e no baixo consumo com uma arquitectura que a AMD espera responda aos desafios actuais como sejam a Cloud, web, virtualização, bases de dados e HPC.

Falta conhecer a oferta da Intel para 2012 para perceber se está será ou não uma aposta ganha pela AMD.

Etiquetas

Artigos Relacionados

Close