DestaqueGuias

Owncloud 4: Uma cloud pessoal

Introdução

Este é um artigo e guia sobre o Owncloud, um produto que pretende dar às pessoas a possibilidade de criarem, de forma privada, uma cloud pessoal, dando assim total liberdade e privacidade ao utilizador final.

De referir que a palavra cloud sofre constantes abusos e nunca se sabe o que quer dizer realmente.
Neste caso, o produto tem como principal funcionalidade a criação de um repositório central de ficheiros que sejam de fácil acesso a partir de vários dispositivos.

Na prática é um competidor com o famoso serviço “Dropbox”, mas em que a parte servidor é controlada pelo próprio utilizador, tendo ele total controlo sobre limites e formas de uso.
Esta é só a principal funcionalidade, porque com um sistema de plugins, é possível ter mais funcionalidades, como vão poder ver neste artigo.

Ficam aqui as principais características deste produto:
– Solução integrada de storage.
– Fácil acesso aos ficheiros, através de uma página Web, um Cliente que pode ser instalado nos principais sistema operativos ou por WebDav.
– Página Web de fácil acesso, usando html5. É possível fazer drag and drop de ficheiros na página Web.
– Possibilidade de criação de utilizadores e com isso, partilha de ficheiros.
– Versões de ficheiros, que permitem recuperar versões antigas.
– Encriptação.
– Temas.
– Editores e visualizadores de vários ficheiros, como ficheiros de imagens, som ou texto.
– Uma api para uso com outras aplicações ou plugins.
– Migração dos dados ou utilizadores.
– Integração de calendário e tasks que podem ser acedidos por outros dispositivos.
– Uma store onde é possível instalar aplicações dentro do Owncloud.

Por fim, referir que este artigo está dividido em duas partes principais. Primeiro a instalação e segundo a utilização do Owncloud.

 

Instalação

Para este artigo, decidi criar duas máquinas virtuais. Uma é o servidor onde vou instalar o Owncloud 4 e o segundo é uma máquina cliente onde vou aceder e utilizar o Owncloud de várias formas.

Devido à sua popularidade, vou utilizar o Windows 7 como máquina cliente, utilizando o Firefox 12 como browser.
Também devido à sua popularidade no mundo linux, no servidor vou utilizar Ubuntu Server, na sua versão mais recente a 12.04.

Para criação das máquinas virtuais, usei Virtualbox, onde coloquei as duas máquinas num ambiente de testes.

No servidor com Ubuntu, fiz a instalação base, adicionando só a funcionalidade do serviço de openssh, para poder aceder remotamente.

O Windows 7 é uma instalação base, sem adicionar nada. Apenas confirmei que estavam as duas máquinas na mesma rede.

Para efeitos de teste e para não estar sempre a passar o comando “sudo”, coloquei uma password no utilizador “root” e acedo ao servidor com este utilizador.
Para colocar uma password neste utilizador, corri o comando:

sudo passwd

A primeira coisa que se deve fazer, no servidor, é ter a máquina actualizada, com o comando:

apt-get update && apt-get dist-upgrade

Em seguida é preciso instalar os requisitos para instalar o Owncloud. Para tal, devemos correr o comando:

apt-get install apache2 php5 php5-gd php5-sqlite curl libcurl3
libcurl4-openssl-dev php5-curl php5-common php-xml-parser sqlite openssl

Por sua vez, este software tem outras dependências, que são listadas. Basta apenas aceitar carregando no “y”.

Na máquina Windows, como é um teste e estou a aceder por rede local, no ficheiro “hosts” que se encontra em “C:\windows\system32\drivers\etc” coloco a seguinte entrada:

192.168.1.112       cloud.own

Este ip é o ip do servidor e esta entrada serve para poder aceder ao Owncloud com aquele nome.

Acedendo por browser a “cloud.own” podemos ver que o Webserver está a funcionar.

Devido a várias funcionalidades no Owncloud, é necessário activar vários módulos de Apache. Para isso, é necessário correr os seguintes comandos

a2enmod rewrite
a2enmod headers
service apache2 restart

O último comando serve para reiniciar o serviço do apache e assim os módulos sejam activados de forma efectiva.
É dado uma mensagem que o apache não sabe o nome do servidor. Isto acontece porque não tenho esse parâmetro definido no ficheiro de configuração.
Num teste, isto não é problemático.

Em seguida devemos efectuar o download do Owncloud 4 com o comando:

wget -O owncloud4.tar.bz2 http://owncloud.org/owncloud-download-4-0-0

Devemos depois descomprimir o ficheiro que efectuamos o download, com o comando:

 tar -jxvf owncloud4.tar.bz2

Se listarmos os ficheiros, com o comando:

ls

Podemos ver que temos uma pasta com o Owncloud. Devemos por isso copiar a pasta para o local onde se encontram os ficheiros do Webserver, com o comando:

cp -r owncloud /var/www/owncloud

Podemos então aceder à pasta onde se encontram agora os ficheiros, com o comando:

cd /var/www/owncloud

Correndo o comando para listar, visualizamos o seu conteúdo.

Para o Owncloud poder manipular os ficheiros é preciso que o dono dos ficheiros seja o utilizador com que é executado o apache.
Para tal, devemos correr o comando:

chown -R www-data:www-data /var/www/owncloud

Podemos aceder ao Owncloud de duas formas. De uma forma pouco segura, por http, em que tudo o que é transmitido vai em clear text ou por https em que a ligação é encriptada.

Penso que a melhor forma é por https e para tal vão ser necessárias várias alterações na configuração.
A primeira coisa é activar o módulo ssl no apache. Para tal, devemos correr o comando:

a2enmod ssl
service apache2 restart
1 2 3 4 5Página seguinte
Etiquetas

Artigos Relacionados

Close