AnálisesDestaque

Philips Citiscape Uptown

“Influenciada por diferentes pessoas das maiores cidades no Mundo, a Colecção Citiscape inspira-se na vida citadina e na cultura urbana. A Coleção Citiscape utiliza a tecnologia MusicSeal para total imersão na música, tornando-a mais pessoal.”

 

 

Introdução 


Os auscultadores Philips Citiscape Uptown fazem parte da nova coleção Citiscape da Philips. A coleção Citiscape tem um estilo urbano e representa o estado de arte dos auscultadores Philips para o mercado de áudio portátil.

O microfone para a realização de chamadas, os comandos de controlo e o ajuste de volume estão integrados no cabo.

Utiliza a tecnologia MusicSeal – tecnologia passiva de isolamento do som exterior e para o exterior – desenvolvida pela Philips.
O som é detalhado, separado, neutro, expansivo e com alguma ressonância. A qualidade de construção, o cuidado nos pormenores, a boa apresentação, o excelente isolamento e o bom conforto são os principais pontos de destaque nestes auscultadores.

Os Citiscape Uptown estão disponíveis nas cores: cinzento e castanho.

 

Especificações

• Sistema Acústico: Fechado

• Frequência de resposta: 12 – 23 500 Hz

• Impedância: 32 Ω

• Potência máxima à entrada: 30 mW

• Sensibilidade: 103 dB

• Tipo: Circum-aural – Dinâmico

• Altifalante: Em Mylar™ – 40 mm

• Cabo: 1,2 m, saída pelo lado esquerdo

• Conector: 3,5 mm TRRS

Especificações Completas: Site Oficial dos Citiscape Uptown

 

Principais Características:

• Microfone, comando e controlo de volume incorporados;

• Diafragma de 40 mm em Mylar®;

• MusicSeal – Tecnologia passiva de isolamento;

• Proteções macias com memória para melhor isolamento e conforto;

• Cabo do tipo fita de 1,2 m, anti-emaranhamento;

• Aro para a cabeça almofadado.

 

Qualidade de Construção e Conforto


Os Philips Citiscape Uptown são auscultadores do tipo Circum-Aural e adotam um sistema acústico fechado.

O diafragma de 40 mm instalado nos Downtown é do tipo Mylar® e utiliza uma bobina com enrolamento do tipo CCAW, tal como os Philips Citiscape Downtown.  A semelhança das especificações dos dois modelos pode indicar que utilizam o mesmo driver, no entanto o som dos dois modelos não é igual. Os transdutores estão colocados numa posição angular, tentando transmitir uma imagem espacial aproximada ao que obtemos quando ouvimos colunas convencionais.

O Citiscape Uptown é um modelo de baixa impedância (32 Ω), com uma sensibilidade suficientemente alta para atingir pressões sonoras altas a partir de qualquer leitor mp3, telemóvel, tablet e computador portátil. No entanto, os Uptown não são tão sensíveis como os Downtown. Será sempre necessário um aumento extra de volume do leitor em comparação com os Downtown. Em leitores com uma potência de saída baixa, a utilização de um pequeno amplificador como o Fiio E6 é suficiente para se conseguir maior controlo e evitar a saturação do sinal à saída do leitor.

A headband é revestida a pele sintética e é bastante larga. Os extensores metálicos que regulam a posição das earcups são resistentes e precisos no ajuste. Os Uptown são volumosos quando comparados com os Sennheiser HD650 e os ATH M50.

 

 

Os materiais são de boa qualidade. As costuras na headband demonstram um cuidado extremo no seu alinhamento. As earcups são maioritariamente em plástico e uma chapa metálica reveste o lado exterior. Mas o que realmente se destaca nos Citiscape Uptown é a dimensão das almofadas em pele sintética, existindo apenas uma área pequena de plástico à vista. As earcups são de grande dimensão, contribuindo para a criação de um grande espaço acústico interno com bom desempenho para uns auscultadores do tipo fechado.

 

 

O isolamento está acima da média em relação a outros auscultadores fechados. No entanto, é necessário conseguir um bom ajuste das almofadas à cabeça, que devido às grandes dimensões destas pode demorar uns minutos até conhecermos o truque para criar uma diferença de pressão para o exterior. Este ajuste é essencial para se conseguir um desempenho sonoro satisfatório. As almofadas são mais rígidas que as dos CAL!, mas o seu tacto mais sólido e memória, permitem melhor isolamento e igual conforto.

O cabo é igual ao dos Downtown, apenas se destaca a integração do controlo de volume no cabo em conjunto com o microfone e controlos. O cabo é em fita e tem uma terminação de 3,5 mm do tipo TRRS. É incluído uma extensão para adaptação à função headset em telemóveis Samsung, Nokia e Sony Ericsson.

 

 

Como já referi, os Uptown têm uma dimensão que não pode ser desprezada. O seu transporte é ainda mais complicado que os Downtown, apesar de poderem ser transportados em volta do pescoço. Faz falta uma bolsa de transporte.

 

Audição

 

O primeiro contacto com os Philips Citiscape Uptown não foi tão fácil em comparação com os Downtown. Mas isto não significa que os Uptown são inferiores aos Downtown, antes pelo contrário. Ao fim de alguns minutos de habituação, e após conseguir um ajuste perfeito das almofadas (essencial), dificilmente voltaria para os Downtown.

A gama baixa dos Uptown é extremamente controlada. Está presente sempre que necessário, conseguindo transmitir uma agradável vibração e ressonância. Ao contrário dos Downtown, os graves só estão presentes quando solicitados, tornando a audição menos cansativa, apesar da menor envolvência. Esta gama é limpa, detalhada, controlada e menos frontal que nos DowntownCreative Aurvana Live!, mas nunca é timida. Apenas lhes falta alguma definição e o timbre correcto. Um bombo transmite uma textura interessante, com muito impacto, mas a resposta é seca e as transições são muito rápidas. A resposta desta gama pode-se considerar bastante neutra e mais precisa que a dos Downtown, apesar de ser menos divertida. Após uns minutos com os Uptown, é perceptível que a gama baixa dos Downtown é menos natural, mais lenta e com maior coloração.

A gama média, tal como os Downtown, é articulada e clara. O timbre não é natural, nem os pequenos detalhes são naturais. Existe uma preocupação em acrescentar o máximo detalhe possível através do aumento do ganho na transição para a gama alta. Pelo lado positivo, este ganho permite aumentar a articulação nesta gama e o som nunca é velado. Num coro, as vozes são claras e distinguíveis entre si. Por vezes os ésses nas vozes femininas tornam-se desagradáveis, mas nunca atingem a sibilância. As vozes masculinas parecem mais claras e finas do que é natural, as guitarras são brilhantes e detalhadas.

O ênfase na gama alta acrescenta brilho à gravação, o que diminui a sua exactidão. Podendo até acrescentar alguma agressividade não desejada em volumes elevados (acima do que é considerado saudável). Este ênfase tem como motivação acrescentar a sensação de detalhe superior, mas numa audição atenta, este apenas é mediano, nunca conseguindo atingir a resolução de auscultadores mais caros. Na minha opinião, contribui para um cansaço mais rápido, o som pode ser estridente em más gravações. Noutras situações, a maior sensação detalhe, pode ser mais satisfatório, tal como na reprodução de guitarras com alguma distorção em que existe um brilho extra. Um crash não têm um decaimento e vibração natural, mas é perceptível e destacado em relação aos outros sons. A separação nesta gama é um ponto forte.

Se a gama baixa não cansa o ouvinte, a gama alta tem o efeito contrário. A frontalidade da gama alta em relação à gama baixa contribui para que alguns detalhes das gamas média e baixa se tornem menos perceptíveis. Já ouvi este efeito noutros auscultadores da marca Philips: SHE3570 e Citiscape Downtown. A utilização de fontes com um carácter mais quente e com alguma atenuação na gama alta, é uma solução possível para modificar o desempenho dos philips – aconselhado apenas a quem não goste do som inicial dos Downtown.

A sensação de espaço e separação dos sons nos philips é um ponto de destaque, embora sejamos submetidos a alguma ressonância (habitual em headphones do tipo fechado). A recriação do espaço acústico e grandes salas é muito satisfatório nos Philips, é perceptível alguma  ressonância associada ao espaço e/ou à natureza do tipo de auscultador. Apesar de serem do tipo fechado, existe uma agradável sensação de ar, a gama alta é extensa, vibrante e ressonante.

O som dos Philips Citiscape Uptown nunca é congestionado, mesmo levado a extremos. A rapidez de resposta é impressionante neste auscultador. O facto de o som ser mais frio e menos cheio é uma boa ajuda.

Comparações:

Philips Citiscape Downtown: os Uptown destacam-se por uma gama alta mais frontal e detalhada. A gama baixa é mais contida, é essencial um bom isolamento para que esta sobresaía um pouco mais. A gama média é semelhante à dos Downtown, articulada. No geral, os Uptown têm uma assinatura mais neutra que os Downtown.

Creative Aurvana Live:

 

Conclusão

Apesar das minhas preferências pessoais, admito que prefiro manter o som natural dos Philips Citiscape Uptown, em vez de o emparelhar com fontes mais “quentes”.  Quando comparados com outros modelos à venda no mercado com o mesmo tipo de assinatura, os Uptown são auscultadores mais completos. A gama baixa é particularmente bem comportada, nunca perdendo o controlo. A resposta é rápida, o som é limpo, expansivo, articulado e detalhado. Apenas peca pela frontalidade da gama alta.

Os Philips Citiscape Uptown são uns auscultadores que merecem uma nota muito positiva. O preço recomendado (PVP 114,99€) pode ser elevado tendo em conta a concorrência, mas considerando o preço de mercado (±70€), o valor pedido é perfeitamente justificado pela boa qualidade de construção do auscultador, pelo conforto e som satisfatório. Em termos de desempenho em função dos géneros musicais, não encontrei nenhum género específico que funcionasse  mal com os Uptown. É um modelo abrangente, embora os ache particularmente agradáveis para o género rock alternativo devido ao impacto na gama baixa e ao brilho na gama alta.

 

 

Aspectos positivos:

– Boa aparência e boa qualidade de construção.

– Excelente isolamento e conforto.

– Em termos sonoras: agradável sensação de espaço e separação dos sons.

– Comandos integrados no cabo.

– Microfone e controlo de volume.

 

A ser revisto:

– A não inclusão de uma bolsa de transporte.

– Controlo de volume pouco preciso e pouco progressivo.

– A qualidade do cabo não é equivalente à qualidade geral do auscultador.

– Os Citiscape Uptown são volumosos para um auscultador do tipo portátil.

 

 

Agradecimento

A ZWAME agradece à Philips pela disponibilidade do material.

Copyright © Zwame, Lda 2012. Reprodução proibida sem autorização prévia.

Autor: Miguel Costa

Álbuns de Teste

– Dr Chesky’s Sensational, Fantastic, and Simply Amazing Binaural Sound Show!

– McIntosh Audiophile Test Reference CD

– Verse – Patricia Barber

– The Crimson Wing: Mystery Of The Flamingos – The Cinematic Orchestra

– Paus – Paus

 

Etiquetas

Artigos Relacionados

Close