Artigos

A um ano do fim do suporte ao Windows XP

winxppro

O Windows XP foi lançado oficialmente no dia 25 de Outubro de 2001. Passaram mais de 11 anos e depois de alguns adiamentos a Microsoft vai deixar de suportar o Windows XP daqui a um ano. Vai deixar de suportar também o Office 2003 mas para o efeito iremos apenas falar do Windows XP.

O terminus do suporte não faz com que o sistema operativo deixe de funcionar, apenas implica que deixará de ter qualquer actualização pelo que a aparecerem novas falhas de segurança elas não serão corrigidas pela Microsoft. Isso levanta naturalmente vários problema para os utilizadores. Por um lado, se o computador vai suportar um novo sistema operativo, por outro, alguns dos periféricos podem não ter suporte para o novo sistema operativo. Devem verificar no site do fabricante ou podem sempre contar com o nosso fórum para ajudar.

Este é um momento interessante para perceber melhor a utilização do Windows XP depois de onze anos e de a Microsoft ter lançado o Windows Vista, Windows 7 e Windows 8. Refiro-me naturalmente apenas à área desktop.

Se a história nos indica algo e se ela se repete, muitas pessoas apenas vão lançar mãos à obra depois do acto consumado.

Dimensão do problema

Segundo a Net Aplications o Windows domina em toda a linha no desktop com 91.89% seguido do OS X com 6.94% e Linux com 1.17%.

SO_PC

Os números falam por si apesar do anúncio que o PC está morto e do aumento do número de vendas de Macs trimestre após trimestre.

O próximo gráfico é mais interessante.

Windowsflavors

O Windows XP representa 38.73% de todos os computadores com Windows. Apesar de 11 anos passados e do Windows Vista que imediatamente lhe seguiu ter 4.99%. A questão é perceber para onde vão os utilizadores. Irá por força das circunstâncias a Microsoft ter que voltar atrás e continuar a suportar o Windows XP atendendo aos potenciais riscos de segurança? Será que os utilizadores vão transitar para o Windows 8? Em termos empresariais e não tenho dados sobre a percentagem de Windows XP nas empresas mas temo que seja elevado, com problemas graves de migração atendendo a outros programas que funcionam apenas no Internet Explorer 6 o que torna este problema não apenas do lado da Microsoft mas sim de bases de dados por exemplo que representam custos muito elevados.

Contudo parece-me difícil que a transição seja para o Windows 8. Tenho recentemente sido confrontado com algumas pessoas a mudarem do Windows XP e apesar de ser difícil de imaginar o Windows 7 é suficientemente diferente para ter direito a algumas questões de como se faz isto ou aquilo. Por cada power user existem imensos utilizadores com uma utilização muito rudimentar.

Por outro lado e atendendo à evolução dos smartphones e dos tablets a transição irá no sentido desdes dispositivos? Apesar de pioneira na criação dos tablets a Microsoft não tem volume nos tablets actuais. Se juntarmos a isto o tempo que as pessoas passam com o smartphone ou com o tablet, esse pode ser um caminho. Muitas máquinas que hoje ainda correm o Windows XP não têm experiências de utilização melhores do que um tablet. O único aspecto que pode alterar isto é a questão do Office mas se ele fosse tão determinante os tablets não deveriam ter tido tanto sucesso.

Depois da dificuldade com o Windows 8 e com o Windows 8.1 a ser lançado ainda este ano, com o Windows Phone como distante terceiro player no mercado móvel a Microsoft tem um ano para convencer os utilizadores com Windows XP a mudarem. Se não o conseguir fazer a hegemonia corre um sério risco. A marcha no sentido de equipamentos móveis não parece diminuir e cada vez mais irão substituir o computador pessoal como o conheciamos.

Temos um ano para ver o que vai acontecer e começa precisamente hoje a contagem decrescente.

Artigos Relacionados

Close
Close