AnálisesDestaque

Auscultadores Steelseries Flux

steelseries-flux-headset-black-1_retail-box-image

Apresentação

Representada em Portugal pela FraggerZstuff a SteelSeries é uma marca com provas dadas no mercado de periféricos e bastante apreciada pelos gamers mais dedicados e atentos. Desde tapetes, ratos, teclados, headsets e outro equipamento mais especifico, há quase sempre algo para dar aquela pequena vantagem extra que no gaming faz toda a diferença.

É por isso interessante observar como a SteelSeries, graças ao misto de headset e auscultadores que são os Flux, salta de um mercado mais hardcore e tenta piscar o olho a um tipo de gamer mais casual na forma como aborda este género de periféricos . Um género de gamer que procura além de qualidade, portabilidade e versatilidade.

Características técnicas

Auscultadores
Frequência de resposta: 18 – 28000 Hz
Impedância: 29 Ohm
[email protected] 1kHz, 1 Vrms: 118 dB
Tamanho do cabo: 1.20m
Jacks: 3.5 mm

Microfone
Frequência de resposta: 50 – 16000 Hz
Tipo de captação: Omnidireccional
Sensibilidade: -38 dB

1

Os SteelSeries Flux possuem uma apresentação bastante agradável onde salta à vista a simplicidade de um design sóbrio e funcional complementado com inúmeras possibilidades de personalização.

2
No interior da caixa encontramos, para além do habitual manual de instruções e autocolantes, um guia promocional onde são referidas as diferentes possibilidades de customização dos Flux: cabos, almofadas, tampas laterais,tudo com cores diferentes.

Para além das possibilidades de personalização os FLUX possuem uma enorme versatilidade no que a compatibilidade diz respeito. Dos dois cabos fornecidos um permite ligação a virtualmente todos os leitores que tenham uma saída áudio jack 3.5mm e o outro a um qualquer PC. Se quisermos ir
ainda mais longe, após adquirirmos o SteelSeries Cross Platform Audiomixer, também os podemos utilizar na Xbox 360 ou na PS3.

Design

Do lado do design e como já foi referido, esta versão base dos SteelSeries Flux é bastante sóbria e discreta escondendo alguns pormenores extremamente inteligentes e funcionais.

4 6

Visualmente a mistura do preto mate do plástico e borracha com o preto brilhante das tampas laterais e o tecido preto mesclado que cobre as almofadas dos auscultadores resulta muito bem. Especialmente se uma das nossas intenções for passarmos despercebidos num qualquer passeio de
transportes públicos. Mas se nos quisermos diferenciar da multidão também o podemos fazer. Basta investirmos um pouco mais nos extras disponibilizados pela SteelSeries ou optarmos pela versão branca dos Flux.

Os Flux possuem um design “on the ear”, em que a almofada do auscultador assenta sobre a orelha, a bandolete é feita de metal flexível e resistente coberto com uma borracha suave e agradável ao toque.

10 (2)

A construção aparenta ser bastante sólida, especialmente se tivermos em conta o facto dos Flux serem dobráveis de forma a permitir uma maior portabilidade e dos earcups rodarem 90º para dentro. Um pormenor que permite ao utilizador colocar os auscultadores confortavelmente à volta do
pescoço com os eurcups virados para baixo.

Funcionalidade

Mas debrucemo-nos sobre a versatilidade e funcionalidades dos Flux.
Como já foi referido estes auscultadores fazem-se acompanhar por dois cabos que permitem  diferentes compatibilidades, no entanto a finalidade é idêntica: permitir ao utilizador ouvir e ser ouvido.

13
Um dos cabos é compatível com dispositivos IOS/Android ou com qualquer leitor que tenha uma saída áudio 3.5mm. Para além do microfone inline omnidireccional, possui também um botão que permite receber e desligar chamadas e ainda fazer pause/play quando estamos a ouvir música num
desses dispositivos.

11 (2) 12 (2)

O outro cabo incluído, fornece ligação ao PC, possuindo um jack que liga aos Flux e no extremo oposto dois jacks. Um dos jacks liga-se à saída das colunas e o outro à entrada do microfone. Este cabo possui também um microfone inline omnidireccional  com um pequeno slider para mute/unmute.

Os cabos apesar de bastante curtos, certamente a pensar numa utilização com dispositivos móveis como telemóveis ou computadores portáteis, são cobertos com uma borracha resistente que faz com que os habituais enleios desapareçam e  proporciona resistência suficiente aos habituais puxões acidentais.

Outro pormenor dos Flux são as saídas/entradas jack, uma de cada lado dos auscultadores que permitindo  ao utilizador ligar o cabo do lado mais conveniente.

Esta característica esconde um dos pormenores mais interessantes dos Flux: a possibilidade de ligarmos quaisquer outros auscultadores à saída/jack livre, permitindo partilhar o que estamos a ouvir com outra pessoa.
A Utilização dos Flux

Como é expectável nenhum dos pontos referentes a questões como design, versatilidade e qualidade de construção são relevantes por aí além quando o conforto e a qualidade da experiência acústica não estão à altura das restantes características.

É certo que os Flux se encontram num patamar algo estranho. São um headset para jogar? São uns auscultadores para o leitor de MP3? Ou serão uns auscultadores para o telemóvel, já que também permitem atender chamadas?

No fundo são uma espécie de “faz tudo” que pode deixar alguns mais confusos e desconfiados. Afinal (recorrendo a uma expressão mais coloquial) “quem muitos burros toca algum fica para trás”. Felizmente não parece ser esse o caso.
Qualidade acústica

Os  Flux foram submetidos à habitual utilização diária. De casa para o trabalho e do trabalho para casa, ligados a um Huawei Y201 Pro que por motivos de contenção de custos não se faz acompanhar por qualquer tipo de auscultadores. Os Flux brilharam a reproduzir a agressividade Lamb of God, o rock mais musculado dos The Sword  e a electrónica dos Prodigy mas quando foi preciso também não se envergonharam ao tocar um pouco de Rodrigo Leão.

Aqui e ali sente-se falta de um bass um pouco mais agressivo, mas acaba por ser uma questão de gosto pessoal.

O facto dos Flux possuírem altifalantes de 40mm (a mesma dimensão que encontramos na maioria dos auscultadores dedicados exclusivamente a áudio) confinados a um espaço tão pequeno faz com que o volume do som seja bastante elevado em comparação com outros auscultadores. Só em jeito de comparação, os Sony Pulse ligados ao computador com o volume a 30% mal se ouvem, com os Flux já estamos a ponderar baixar ou não o volume.

No entanto é de referir que o que ganhamos em potência sonora pura sem distorção, perdemos em detalhe, já que a mistura áudio parece demasiado “colada”. Algo que se nota especialmente na música com paisagens sonoras mais complexas como uns ISIS ou uns Mogwai.

Quando a sessão musical era interrompida por uma qualquer chamada telefónica bastava carregar botão que se encontra junto ao microfone. O facto do microfone ser omnidireccional com cancelamento de ruído permite à outra parte ouvir-nos claramente e sem qualquer tipo de interferência. Se nos encontrarmos num ambiente mais calmo acabamos por sentir necessidade de aproximar o microfone da boca para falarmos mais baixo, mas isso acaba por ser mais um reflexo que propriamente uma necessidade provocada pela fraca captação do microfone, algo que não acontece.

Chegando ao trabalho, uma simples troca de cabo permite ligar os Flux ao computador portátil e através do recurso ao Skype transformá-los numa ferramenta de trabalho discreta e funcional. E quem diz trabalho também diz diversão. Apesar de serem simplesmente uns auscultadores stereo a qualidade sonora no que a online gaming diz respeito é extremamente satisfatória. Os Flux foram testados com jogos que exigem comunicação e atenção constante como o Ghost Recon Online e o Left 4 Dead 2.

Como é natural, aos Flux falta a exactidão da localização espacial que uns auscultadores surround nos podem fornecer. No entanto conseguimos distinguir na perfeição os passos dos inimigos que se aproximam, apreciar as explosões que ecoam quase no limite do desconforto para o ouvido e sentir as balas a passarem ao nosso lado.
O conforto

Em termos de conforto os Flux possuem um design algo diferente do habitual, repousando as almofadas dos auscultadores em cima das orelhas. Este é um daqueles pormenores que faz com que se recorra ao chavão do “primeiro primeiro estranha-se, depois entranha-se”, mas é mesmo assim. Alguns ajustes na medida da bandolete e na posição das earcups e nem o facto de usar óculos interferiu com o conforto dos Flux. Nota positiva também para a borracha utilizada na parte superior da bandolete que possui superfície de contacto e maleabilidade suficientes para não magoar a cabeça. O material usado nas almofadas também permite um isolamento satisfatório sem se tornar demasiado quente e desconfortável.

A faltar fica um controlador inline para podermos ajustar o volume sem termos que recorrer ao telemóvel, mas acaba por ser uma opção compreensível já que iria encarecer ainda mais os Flux e provavelmente torná-los certamente mais falíveis.
Veredito final

Disponibilizados por 99.99€ na Fraggerzstuff (à data desta análise)  os SteelSeries Flux têm um preço que não podemos considerar extremamente acessível.

Especialmente se comparado com o de outros produtos existentes no mercado, tanto no que diz respeito a equipamento dedicado puramente a áudio como por exemplo os Sennheiser HD 239 ou dedicado unicamente a gaming como os Siberia V2, também da SteelSeries. É certo que os Flux não são capazes de superar nenhum destes exemplos nas funcionalidades puras de cada um deles mas também é verdade que nenhum dos exemplos referidos permite a versatilidade e liberdade  que os Flux nos dão. Com um único equipamento temos áudio portátil, comunicação móvel e gaming.

Existe ainda outra edição dos Flux, a versão Luxury. O que “falta” a esta edição dos Flux está incluído na edição Luxury. Earpads em pele, uma extensão de cabo para usar no PC, tampas laterais extra e uma bolsa. Como é  expectável, essa edição é ainda mais cara. Os tais 99.99€ seriam sem dúvida um preço bastante aceitável se os Flux tivessem esses extras na edição normal. Sendo assim quem ponderar adquiri-los terá que fazer algumas contas de cabeça e perceber se compensa ou não o investimento tendo em conta o uso que lhes irá dar.

 

Mas uma coisa é certa,  os Flux acabam por ser equipamento bastante confortável, com um design atraente e a qualidade de construção  que a Steelseries nos habituou.  Balançando entre o discreto e o irreverente, são uma excelente opção para quem está sempre em movimento mas não abdica da sua música no telemóvel ou no leitor MP3, não consegue viver sem os jogos do seu portátil e dispensa a confusão provocada por demasiados periféricos.

 

Destaco pela positiva:

Confortáveis

Qualidade de construção acima da média

Extremamente versáteis

Qualidade dos cabos

Possibilidade de serem personalizados

 

Aspectos a melhorar:

A falta de um controlador de volume no cabo

Cabos demasiado curtos

Extras como uma bolsa seriam bem-vindos

A ZWAME agradece à FraggerZstuff pela disponibilidade do material para teste.

Copyright © Zwame, Lda 2013. Reprodução proibida sem autorização prévia.

Autor: Nuno Casaca

Etiquetas

Artigos Relacionados

Close
Close