ArtigosDestaque

Byword 2. O editor de texto minimalista agora com Publishing

Originalmente lançado à cerca de 2 anos atrás, o Byword foi das primeiras aplicações na Mac App Store a abrir o caminho para uma serie de aplicações de texto simples com suporte para Markdown. Aquando do seu lançamento tivemos oportunidade de ter um podcast com o Jorge Pedroso, fundador e um dos programadores do Byword. Passado algum tempo foi lançada a versão para iOS que também foi actualizada.

Esta nova versão é um update gratuito para quem já tinha o Byword e mantém intactas todas as características que a tornaram num sucesso. Uma tela minimalista com a quantidade q.b. de opções.

Byword

Esta versão traz tem melhorias significativas em particular na sincronização dos documentos com o Dropbox e iCloud além de adicionar a possibilidade de publicar directamente no WordPress, Tumblr, Blogger, Scriptogram e Evernote.

Quem já tinha a primeira versão instalada vai ter a actualização do mesmo. A novidade do Publishing é uma compra dentro da aplicação que custa 4,49€. Para quem compra a aplicação pela primeira vez o preço é 8,99€ e o Publishing mantem-se uma compra dentro da aplicação. A questão que podem colocar é porque é que quem compra a aplicação agora não paga apenas uma vez. A explicação está na limitação a nível da App Store. A única solução passaria por lançar uma nova aplicação que teria que ter outro nome. Não há nenhuma forma de resolver esta questão mantendo a actualização para os anteriores clientes e ter a aplicação à venda para os novos.

 

Funcionamento da aplicação

A aplicação é, como referi, minimalista. Na sua essência é apenas uma tela com fundo claro ou preto.

As preferências são as mostradas na imagem seguinte.
Preferencias
Pessoalmente prefiro o fundo mais escuro – quem iria imaginar – e a largura máxima. Já sobre o tipo de font há vários tipos que são sugeridos mas podem utilizar qualquer uma que tenham no sistema.

Independentemente das preferências pessoais atrevo-me a sugerir que utilizem uma font monoespaçada se tiverem tabelas no documento. Vão visualizar mais facilmente a mesma. Quando exportarem para HTML isso não vai ter qualquer influência atendendo que não é copiada a font que estiveram a usar.

Os documentos podem ser criados em Markdown e em Rich Text.

Na verdade há mais três opções que podem ser seleccionadas mas que não estão no menu anterior. Refiro-me ao menu View:

View

Paragraph Focus: A minha recomendação é experimentarem e ver se é do vosso agrado. Neste modo o texto do documento é esbatido ficando apenas o parágrafo que estão a escrever em destaque.

Line Focus: Esta opção é como o nome indica igual à anterior mas apenas ao nível da linha e não do parágrafo. Na minha opinião distrai um pouco porque na mudança de linha há um impacto maior por a mudança do cursor ser acompanhada da alteração da cor da linha que acabamos de escrever.

Typerwriter Mode: Para quem usou máquinas de escrever a altura da linha era sempre a mesma. É exactamente esse o efeito aqui.

Show Counters: No fundo da tela aparece o tipo de documento e o número de palavras e caracteres. Infelizmente na contagem é incluidos os caracteres do Markdown. Isso não deveria acontecer.

byword2-rich-text-window-only

Markdown

Vale a pena fazer aqui um parênteses para falar do Markdown e a sua vantagem para muitos utilizadores. O Markdown é uma sintaxe de formatação de texto simples. A aprendizagem é simples, tem pouco ruído visual (muito menor do que se escreverem em HTML). O Markdown foi inicialmente criado para simplificar a forma como se escrevia texto para ser publicado online, ou seja HTML. E apesar das opções limitadas ganhou bastantes seguidores. Atendendo o alvo do Byword faz sentido que entre os seus utilizadores a forma principal de partilha dos textos criados seja online.

No próprio site da aplicação têm um guia de introdução e a sintaxe do Markdown.

Markdown

Pré-visualização

Quando estão a escrever o documento podem fazer a pré-visualização do mesmo detectando erros ou não de sintaxe. O atalho é cmd + option + P. É uma opção muito útil, no entanto, a limitação é não poderem ter essa opção em tempo real à medida que elaboram o documento. Se essa funcionalidade for muito importante para o vosso workflow a sugestão é usarem o Marked. Existe uma stylesheet que podem descarregar para o Marked no site da aplicação.

Exportar

Podem exportar os documentos em vários formatos como podem ver na imagem seguinte.

Exportar

 

Um dos pontos interessantes e que vale a pena destacar é a nova opção de copiar para o clipboard como Rich Text. Podem escolher esse formato logo na criação do documento mas desta forma têm a vantagem de escrever em Markdown e posteriormente ter todas as opções. Acaba por ser menos um passo do que era possível até aqui.

 

Sincronização com Dropbox e iCloud

É possível sincronizar com o iCloud e Dropbox. Dito isto, os dois serviços são externos à aplicação e não é simples ter uma experiência sem problemas. Pessoalmente uso o Dropbox porque não utilizo apenas dispositivos da Apple mas para o caso do Byword isso não é importante. O iCloud tem merecido alguns reparos dos programadores no geral e se é verdade que tem versões em Mac isso não existe em iOS. A sincronização over the air é sempre complicada. Podem ficar sem ligação à net a meio da sincronização ou haver algum problema com o iCloud. O dropbox tem a minha preferência por ter versões no site o que me deixa sempre um pouco mais tranquilo. Além disso tem sido um serviço robusto do qual não tenho tido problemas. Mas problemas podem sempre ocorrer. Em particular da primeira vez que sincronizam, se tiverem muitos documentos, certifiquem-se que têm uma boa ligação e que a sincronização foi efectuada com sucesso.

 

Resolução de conflitos

conflito

A resolução de problemas foi alvo de bastante atenção nesta versão e se não é possível eliminar os problemas a forma encontrada foi melhorar a forma como os conflitos podem ser resolvidos. Do lado esquerdo da imagem podem ver que podem navegar entre as diferentes versões e do lado direito, depois de escolherem a versão que pretendem podem assumir como definitiva. Não sendo um conflito seria interessante ter a opção em todo o lado de ter acesso a versões anteriores do documento. Como disse isso existe no Mac mas não no iOS. Espero que possa ser algo a implementar no futuro.

 

Versão para iOS

Em simultâneo com o lançamento da versão para Mac foi também lançada a nova versão para iOS. O update é gratuito para quem já tem a aplicação, para quem compra agora mantem o preço de 2,69€ e o Publishing tem o valor de 4,49€. A situação é em tudo idêntica ao que acontece na App Store do OS X. Não é possível manter a aplicação e ao mesmo tempo ter preços diferentes. O upgrade para o Publishing é feito apenas uma vez.

 

Publishing

Publishing

A principal novidade deste lançamento é a possibilidade de publicar o texto criado no Byword em blogs no WordPress, Blogger, Tumblr, Scriptogram e no Evernote. Este caminho faz sentido atendendo que sendo uma das aplicações com uma das melhores implementações de Markdown na App Store, é muito utilizada para criar conteúdo que acaba online.

Nesta primeira versão a crítica que faço é de não suportar a colocação e importação de imagens. Compreendo os desafios mas limita grandemente a sua utilização tornando-se apelativo para um número menor de utilizadores.

Apenas testei no WordPress e Evernote que é o que utilizo. No WordPress não tive qualquer problema. No entanto, como referi antes ao não ser possível fazer o upload de imagens acaba por não ser funcional.

EcraPublishing

No Evernote vão ter que seleccionar um notebook na configuração e os artigos serão arquivados nesse notebook. Podem considerar isso uma limitação.

No teste que efectuei com o Evernote tive problemas com um documento em particular onde tinha uma tabela. O problema aparentemente está documentado neste guia. No entanto, e estando do lado do utilizador será interessante ver o caminho seguido no desenvolvimento e de que forma será possível trabalhar com estas aplicações no sentido de melhorar as limitações actuais e se essas melhorias farão parte da versão actual ou se apenas irão existir numa nova versão. Para quem escreve texto apenas parece-me perfeito e acredito que é um elemento diferenciador da aplicação.

Publicado

Em resumo, o Byword continua a ter todas as características que o tornaram um sucesso e que para mim acaba por ser uma máquina de escrever moderna onde no final somos nós, um ecrã e um teclado. As melhorias de sincronização ajudam à utilização de dispositivos diferentes que já fazem do nosso dia a dia mas vão ter sempre uma limitação chamada Internet bem como a utilização de serviços externos que serão sempre um ponto de falha. O Publishing resolve o problema a quem toma notas ou faz publicações simples sem recursos a media. Serão esses que terão mais vantagem.

As limitações da App Store fazem com que a solução encontrada de compra dentro da aplicação possa merecer críticas de quem compra pela primeira vez.

No final do dia falta apenas o cheiro do papel e as teclas encravarem. O Byword é a nova máquina de escrever para quem tem um Mac ou dispositivo iOS que agora também permite publicar.

Etiquetas

Artigos Relacionados

Close
Close