AnálisesDestaque

ASUS Sabertooth Z87

bx

Introdução

A Intel lançou a sua nova plataforma Haswell , este como talvez a maioria dos leitores já sabe, é um lançamento “Tock”. A empresa trabalha já há alguns anos com o modelo de que apelidou de “tick/tock”, ou seja, todos anos lança um produto novo. Nos anos “tick”, melhora significativamente a arquitetura anterior, começando por introduzir um processo de fabrico inferior e com menos consumo. Nos anos “tock”, a Intel introduz mudanças mais radicais na arquitetura, melhorando-a significativamente. E este é justamente um ano “Tock”.

tick_tock Z87_diagrama haswell_CPU

Nesta arquitetura, uma das bandeiras da Intel, foi a melhoria significativa do GPU on Die, a verdade é que a melhoria é na realidade significativa e promete para as próximas plataformas que virão. Estes GPU são compatíveis com as tecnologias mais modernas, como o DirectX 11.1, OpenGL 4.1, OpenCL 1.2 e introduzem uma nova versão do QuickSync, que é responsável pela decodificação de vídeo. Além disso permite a compatibilidade com a interface DisplayPort 1.2 e o suporte a resoluções 4K. Esta resolução, parece-me que veio para ficar, de inicio será um nicho de mercado mas dentro em breve, creio que no máximo dois anos, passará a substituir a resolução 1920*1080 como Standard Full-HD.

Gráficos2 Gráficos Gráficos_1

Outra das bandeiras é a gestão energética dos processadores Haswell para notebooks e portáteis, esta nova arquitetura foi desenhada para garantir um desempenho superior com um consumo energético inferior. Com esta nova arquitetura a Intel pretende aumentar substancialmente a duração da bateria e a sua vida útil.

Bateria

Com uma nova geração de processadores surge sempre uma nova família de chipsets. Se as séries anteriores (6 e 7) eram compatíveis entre si, permitindo que os processadores das duas gerações pudessem ser utilizados em qualquer uma das plataformas, o Haswell veio alterar isso, e introduz também um novo socket, o LGA 1150. Uma das novidades é a extinção do PCI na nova plataforma, o que pode levar muitas pessoas a adiar bastante um upgrade para esta plataforma, já que isso poderá significar a compra de algumas placas que anteriormente eram PCI. Os chipsets da série 8 têm suporte para 14 portas USB, seis USB 2.0 e oito USB 3.0 e incluem seis portas Sata 6GB. As portas PCI Express x1 são compatíveis com o padrão 2.0 e controladas diretamente pelo chipset, enquanto o PCI Express 3.0 é controlado diretamente pelo CPU. O controlador de memória é integrado no processador, tal como na geração anterior e oferece uma velocidade máxima (oficial) de 1.600 MHz DDR3, podendo chegar a velocidades bastante superiores, tal como na geração anterior.

Chipset

A nova linha tem vários processadores diferentes, com algumas novidades no que diz respeito ao número e ao sufixo dos processadores. Para desktop tem no seu topo de gama, o Core i7 – 4770k. Como vamos perceber este é o melhor CPU de todos porque além de ter maior velocidade de relógio, tem também mais cache etc. Para percebermos a diferença entre os vários sufixos temos:

Sem sufixo: consumo mais elevado, velocidade de relógio mais alta e de maior desempenho, com GPU integrado Intel HD 4600.

Sufixo T: TDP mais baixo, menor consumo energético e velocidade de relógio inferior com GPU integrado Intel HD 4600.

Sufixo S: é uma mistura dos dois primeiros, oferecendo equilíbrio entre consumo e desempenho, com GPU integrado Intel HD 4600.

Sufixo K: é desbloqueado de origem, pelo que permite alterar as velocidades, é o mais utilizado pelos overclockers e gamers, com GPU integrado Intel HD 4600.

Sufixo R: tem integrado um GPU de alto desempenho (Iris Pro 5200).

A série i5 foi também lançada e tem algumas alterações relativamente à i7, sendo as principais;

– A diminuição do tamanho da cache.

– A perda do Hyper-Threading.

 

ÍNDICE

1. Introdução

2. Apresentação

3. Imagens

4. Software e Bios

5. BenchMarks

6. Notas Adicionais e Conclusão

1 2 3 4 5 6Página seguinte

Artigos Relacionados

Close