AnálisesArtigos

Análise Funtwist ION Fiono 330

Consumo, Temperatura e Ruído

Consumo

  • StandBy: Computador desligado, mas ligado à corrente.
  • idle: Sistema em repouso sem nada a correr.
  • MKV: Reprodução do vídeo “HD-DVD DEMO” em modo EVR com o MPC-HC.
  • Wprime 1T: Execução deste benchmark com 1 thread
  • Wprime 4T: Execução deste benchmark com 4 threads
  • OCCT: Executando o modo “linpack” para máximo stress no CPU.
  • FULL: OCCT + furmark, logo carga máxima no GPU e CPU.

Neste primeiro gráfico, comparamos o Fiono com o sistema ASUS e também o ASUS ION.

O Fiono neste campo ganha por larga vantagem! Sem dúvida um sistema com uma excelente eficiência e baixo consumo de energia!

O ASUS ION decepcionou, com o dobro do consumo. Provavelmente deve-se a fonte utilizada, embora utilizava memórias DDR2 standart em duas unidades. enquanto este sistema utiliza SODIMM e apenas uma unidade. O sistema ASUS também tinha um disco de 3,5″ 7200 RPM, alem de uma drive óptica standart, inexistente aqui, logo tudo a adicionar mais consumo.

Neste 2º gráfico, temos testes adicionais, onde não entra o ASUS ION. De notar o consumo ao ver filmes MKV, onde o chipset e o responsável pelo aumento, mais do que o wprime.

O processador gasta então mais 3w em single thread, mais 5w com 4 threads e 8 watts em carga máxima no OCCT. Dá a ideia que o seu TDP é superior aos 8 watts anunciado (afinal são 8w a mais que o CPU em idle, que também gasta), mas temos que considerar a perda de energia do brick AC-DC, dos circuitos DC-DC de alimentação do CPU, bem como este teste também faz aumentar o consumo das memórias e do chipset.
Já o consumo em idle é algo elevado, fruto da falta do EIST neste CPU: Provavelmente podia abaixar mais uns 5-7w.

Um aspecto a destacar são os 11w que o sistema gasta mesmo estando desligado! Infelizmente é algo que acontece também em portáteis e outros dispositivos que utilizam transformador externo AC-DC. Logo recomenda-se que quando não utilizarem o computador, que removam a ficha da tomada ou o cabo que liga no transformador.

Por fim, dado que o transformador fornece até 60w, que assumindo uma eficiência de 85%, corresponde a cerca de 70w puxados da tomada, logo com 44w de pico, o transformador está ainda com alguma folga, sem o risco de andar no limite.

Temperaturas

Agora os testes de temperatura. Foi utilizado o Core Temp para ler a temperatura do processador e o GPU-Z para ler a temperatura do gpu/chipset. O computador foi instalado “ao ar livre” para melhor circulação de ar.

  • ambiente: medida da temperatura ambiente com um termómetro externo.
  • idle: Sistema em repouso sem nada a correr.
  • MKV: Reprodução do vídeo “HD-DVD DEMO” em modo EVR com o MPC-HC.
  • Wprime 1T: Execução deste benchmark com 1 thread
  • Wprime 4T: Execução deste benchmark com 4 threads
  • OCCT: Executando o modo “linpack” para máximo stress no CPU.
  • FULL: OCCT + furmark, logo carga máxima no GPU e CPU.

As temperaturas são algo assustadoras, mas parece que são normais para o Atom. Por ser cores pequenos e provável mal contacto, tem estas temperaturas elevadas. Notar que ao reproduzir MKV aqueceu mais que o wprime, não só pelo load superior, como o calor gerado pelo GPU. Não esquecer que ambos os chips são arrefecidos pelo mesmo dissipador.

No que toca o GPU, que teve temperaturas inferiores. Notar o aquecimento ao reproduzir MKV e o pequeno aumento ao correr wprime e OCCT, não só do devido ao stress devido a circulação de dados entre CPU e memória, como a absorção do calor do CPU. Já a correr o furmark, houve maior aquecimento, como era de esperar.

Do resto, dado que a caixa não tem uma boa ventilação, nomeadamente uma saída para o ar quente pela lateral direita, prejudicou o arrefecimento, mas nada de grave. Embora uma melhor circulação de ar, implicaria menor necessidade de fluxo da ventoinha, logo menos ruído.

Por fim, é vivamente recomendado a instalação deste computador numa zona ventilada. Alguns testes foram feitos com o computador colocado “escondido” numa prateleira da secretária, por baixo do tampo e ficou bastante quente, especialmente na zona do disco.

Ruído

No que toca ao ruído, embora apenas tenha uma ventoinha, esta trabalha sempre na rotação máxima de 3000 RPM, o que é um bocado incomodo, especialmente a ver filmes. Embora a BIOS tenha opção de controlo da ventoinha, não se notou nenhum efeito na velocidade da mesma.

A solução passa ou pela troca da ventoinha por uma mais silenciosa (atenção a espessura, visto que a fan de origem tem 1 cm apenas! ) ou a utilização de um redutor de voltagem, como os utilizado pelos coolers noctua.
Em alternativa, caso a temperatura ambiente permita, remover a tampa superior e remover a ventoinha, operando em passivo. Não é muito agradável ter o computador com as “entranhas” de fora, mas ficam com a possibilidade de um computador silencioso, especialmente se utilizarem um SSD! Os adeptos do modding também facilmente corrigem isso. Cortar a tampa do topo e adicionar uma ventoinha de 80 a 120 mm silenciosa e com eventualmente uma grelha para dar um toque pessoal, ou mesmo fazendo uma tampa home made com melhor circulação de ar.

Esperemos que este problema possa ser corrigido em futuras revisões, visto o que se pretende de um HTPC é ser o mais silencioso possível.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10Página seguinte
Etiquetas

Artigos Relacionados

Back to top button
Close
Close