AnálisesDestaque

Análise ECS Liva White 64 GB

Alguns Pormenores a ponderar

taskmanager

O processador supostamente é a 1.58 GHz, mas em todos os casos que eu testei, quando o processador está em load, seja com um ou dois cores, ele vai para os 2.13 / 2.15 GHz de turbo.
Isto foi-me confirmado no último PCMark, que dá a velocidade do processador em cada benchmark e em todos eles, o processador vai aos 2.13 GHz.
Fiz o teste de colocar o [email protected] a puxar pelos dois cores e ele esteve sempre a 2.13 GHz.
De referir que mesmo estando em full load durante muito tempo, ele não passou dos 63 graus, sendo que a caixa estava apenas morna, isto num computador completamente passivo.
Na minha opinião, este processador deveria ser anunciado a 2.13 GHz.

Na parte frontal existe uma entrada de audio out, mic in, mas é preciso um adaptador. A meu ver, o adaptador deveria vir com o resto do kit.

O Liva só tem duas portas USB e isso é uma desvantagem. Por exemplo para instalar o sistema operativo, só se pode ter o teclado ligado, sendo que a outra porta é para o DVD-R externo ou pen com os ficheiros de instalação.
Pode-se ter um rato e teclado bluetooth, mas só vai funcionar depois de instalado o sistema operativo e os drivers próprios.
Ou um kit rato, teclado só com uma porta USB…..ou então um hub USB.
Seja como for, duas portas USB é pouco e alguma delas devia ser frontal.

Outro pormenor é o encaixe da caixa. Depois de tudo encaixado é praticamente impossível voltar a abrir a caixa sem que fique com alguma marca. Confirmem sempre que as antenas ficaram bem encaixadas na placa. É a parte mais traiçoeira na montagem.
O melhor seria ter um encaixe em que a abertura fosse mais fácil, até para limpar o pó de vez em quando ou ter um parafuso que tivesse o mesmo efeito.

Existe uma versão 32 GB de eMMC. A meu ver, esta versão é mais equilibrada. Pelo menos se for para instalar Windows 8.1.

O processador suporta 4 GB de RAM. Seria interessante uma versão com esses 4 GB de RAM. 2 GB pode ser limitado em alguns casos.

Software

A maior parte do tempo estive com o Windows 8.1 instalado no Liva. A instalação é relativamente rápida, mas no final ficamos com um computador quase sem qualquer driver instalado.
Há mesmo muitos drivers a instalar, que podem ser feitos download do site da ECS e alguns são demorados. Por exemplo, porque é que os drivers de som têm 500 MB? Eu percebo a ideia de drivers unificados, mas para estes dispositivos é um contra.
Quase todos os drivers são recentes, menos o da placa gráfica, que já é muito antigo. Façam download do último driver para a placa gráfica do site da Intel.

A nível de uso no Windows 8.1 é bastante rápido a não ser num caso. Quando o Windows Defender começa a analisar o programa que estamos a inicializar.
Com 2 GB de RAM, também não se podem ter muitos programas abertos, mas para o uso comum, penso que não há problema.

Quanto a Ubuntu 14.04, existem instruções com os drivers no site da ECS. A instalação a partir de pen é relativamente simples.
No fim da instalação, temos os drivers todos instalados, menos o wireless e o bluetooth.
Instalar o wireless é possível, mas não muito agradável e com uma performance má. O bluetooth não consegui instalar.

Quanto à performance no Ubuntu, é melhor que em Windows 8.1. Na verdade, parece um computador muito mais rápido em Linux que em Windows.

BIOS / UEFI

b1

Quando se arranca com o ECS Liva, deparamo-nos com com o símbolo da ECS e no canto inferior direito as indicações para carregar no “F7” para o menu de boot e no “DEL” para entrar na BIOS / UEFI.

b2

A BIOS não é gráfica como podem verificar. É completamente em modo de texto, que por sua vez tem a vantagem de podermos usar só o teclado.
Ela é fácil e rápida de navegar.

Neste primeiro ecrã temos a linguagem e data e hora para configurar.

b4

Em advanced temos uma opção de ligar ou desligar a placa de rede wired, para o caso de só querermos usar wireless.

b5

Temos também se e como queremos que o computador faça resume.

b6

Temos a opção se queremos que ele faça “suspend” e de que maneira o faça.

b7

Temos a informação e opções de processador, tal como o Intel VT ou C1E. De referir que por default o C1E vem disabled, o que me parece estranho.

b8

As opções de USB, se queremos que estejam ligadas e se queremos XHCI.

b9

No tab chipset temos menus para opções do SOC e TXE.

b10

Nas opções de SOC, temos as opções de memória fixa e dinâmica para a gráfica integrada.
O que queremos que aconteça depois de uma falha de eletricidade.
Por fim as opções de áudio.

b11

No tab TXE, apenas temos a opção se queremos o “Trusted Execution Engine” ligado.

b12

Existe um tab TWEAK, que nesta altura só dá informação do processador. Não se pode, pelo menos na actual versão de BIOS, fazer algum tweak, como underclocking ou overclocking.

b13

No tab de Boot, temos as tradicionais opções de boot. Se queremos boot pela placa de rede, fast boot no Windows, Numlock e quiet mode e por fim a ordem de boot dos dispositivos.

b14

Em security, podemos colocar uma password de BIOS e temos opções de Secure boot.

b15

No Secure boot, podemos escolher se o queremos ligado e em que modo queremos.

b16

Por fim, o ecrã para guardarmos as alterações, fazer discard ou reset da bios.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7Página seguinte

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo