AnálisesDestaque

G.Skill Ripjaws KM780 (é um teclado!)

Software

O software que acompanha este teclado tem de ser descarregado da página web do produto. Não é o mais intuitivo que já vi, mas é bastante completo e o guia do utilizador, disponível para download na mesma página do software, é bastante competente a explicar todas as funções.

macros

perfis luz

Nas secções “Macros” e “Lighting Profiles” é possível criar e guardar macros e versões personalizadas dos efeitos de iluminação disponíveis, independentemente de qualquer perfil de configuração do teclado. Estes podem, depois ser aplicados a esses perfis.

prog teclas

Cada perfil individual, tem de ser carregado para a memória do dispositivo, antes de ser usado, e suporta 3 modos, seleccionáveis directamente no teclado. Cada Modo é,na prática, um perfil dentro do perfil, que pode ser configurado individualmente, desde a programação das teclas, passando pelas definições gerais e acabando na iluminação.
Neste primeiro separador é possível programar as teclas. Todas as teclas mecânicas, sem excepção podem ser reprogramadas para qualquer das funções da lista, incluindo Macros já definidos anteriormente.

settings

Neste separador estão as definições gerais do teclado.
Chamo particular atenção para a função de alarme, onde é possível configurar um alerta via texto no ecrã e/ou efeito luminoso do teclado. Esta função é activada no respectivo botão no teclado, que inicia a contagem decrescente, com o alerta a ser dado após o tempo definido.
A função Sleep permite configurar a activação de um efeito luminoso após um período de inactividade. Uma espécie de “protecção de teclado”.

iluminação

O último separador é dedicado à configuração da iluminação. É possível iluminar o teclado de forma uniforme, configurar individualmente cada tecla ou aplicar um dos vários efeitos, pré-definidos ou personalizados. O único defeito que aqui encontro é a impossibilidade de definir cores personalizadas para a iluminação estática. O branco, por exemplo, foge ligeiramente para o azul, e a possibilidade de definir uma cor personalizada daria a possibilidade de o calibrar um pouco. É possível contornar esta situação aplicando a arte portuguesa do desenrasca, definindo um efeito, como uma onda monocromática por exemplo, onde é possível definir cores personalizadas. Mas está longe de ser a solução ideal.

sett soft

Por fim, as definições do software. De notar que a interface está disponível em Português, mas ainda com algumas falhas. Além de expressões com raíz no português do Brasil, aparecem também algumas palavras perdidas no que me pareceu ser alemão. É, ainda assim, perfeitamente utilizável por quem não se sinta à vontade com o inglês. Além disso, o software está ainda em evolução, é possível que também este ponto venha a ser melhorado.

Iluminação

22

Uma secção do efeito Onda pré-definido.

30

Exemplo de iluminação “à zona”, usando a configuração individual de cada tecla.

21

Iluminação integral vermelha.

23

Iluminação integral branca. Aqui é possível ver uma das questões menores com a iluminação deste teclado: os botões de função fixa e os LEDs indicadores apenas iluminam a vermelho, o que choca um pouco com as restantes teclas quando outra cor é usada.

24

Um problema maior consiste na distribuição da luz pelas teclas. Aqui podemos ver que a metade inferior das teclas recebe muito menos luz que a superior. Tal deve-se à posição do LED nos interruptores.

25

26

27

Com o LED “enterrado” na frente do interruptor, o actuador opaco bloqueia quase completamente a luz para a metade inferior das teclas. É um problema intrínseco aos Cherry RGB e contra o qual os fabricantes que os usam não podem fazer muita coisa (além de, talvez, usar Cherrys MX Clear). A G.Skill tentou contornar o problema usando um tipo de letra relativamente pequeno e centrando os caracteres bem no topo das teclas. Em teclas simples, o resultado é bastante bom, com iluminação forte e homogénea. Já as teclas mais complexas, com múltiplos símbolos, resultam no que se vê acima.

28
Outra questão menor deve-se ao facto da superfície totalmente plana do teclado expor completamente a base dos interruptores, sangrando bastante  luz pelo fundo do teclado, que em algumas posições se pode tornar um pouco incomodativa.

3132

Pessoalmente, resolvi o “problema” mudando para iluminação vermelha. Inicialmente pensava que ia preferir branca, mas após experimentar diversos tons, o vermelha revelou-se, de longe, o mais confortável em ambientes escuros. Ilumina perfeitamente as teclas sem se tornar intrusivo ou cansativo para os olhos. Neste modo, nem a luz da base dos interruptores me incomodou.
Estas duas fotos têm a mesma exposição, de modo a tentar ilustrar o que descrevi.

Página anterior 1 2 3 4Página seguinte

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo