ArtigosDestaque

Unboxing da caixa DAN A4-SFX

Nota do editor: Este artigo é da autoria do Ouroboros, membro do nosso fórum e que teve a gentileza de tirar as fotografias e escrever o texto. Agradecemos a disponibilidade e ficamos à espera da montagem da mesma para vermos o resultado final. 

 

A história da Dan A4-SFX é em muito semelhante à da NCASE M1. Começou a ser desenvolvida no final de 2013 pelo alemão Daniel Hansen. Ao longo dos dois anos seguintes aperfeiçoou e realizou o conceito em conjunto com a comunidade de vários fóruns entusiastas.

Em Maio de 2016 foi criado um Kickstarter para a produção desta caixa. Em menos de uma hora o projecto foi financiado e o objectivo de angariar 125 000€ atingido. Até à conclusão da campanha 1530 pessoas de todo o mundo contribuiram um total de 396 659€.

Depois de um longo período de espera, no início deste ano as caixas começaram a ser entregues aos seus novos proprietários.

Isto foi o que chegou à minha porta. Uma pequena caixa em cartão, bastante leve e com uma inscrição simples a indicar o que é.

Na lateral estão detalhadas as dimensões e algumas características da mesma. Volume, tamanho, peso, material e cor. Não duvido que isto serve para realçar a premissa desta caixa, as suas reduzidas dimensões, mesmo quando comparada com outras caixas ITX.

Ao abrir a caixa encontrámos o manual bilingue, em inglês e alemão.

O mesmo é bastante detalhado e contém todas as informações relevantes, com excepção de uma que explicamos mais adiante, sobre garantia, partes e instruções para montar um sistema dentro da Dan A4-SFX.

Removida a caixa de cartão encontrámos a Dan A4-SFX ainda bastante protegida.

A frente da caixa, extremamente simples. Apenas o botão para ligar e desligar e uma porta USB 3.0. Na minha opinião apesar da conveniência a porta USB está a mais.

A lateral direita, com uma grande área perfurada para ventilar a fonte de alimentação e o cooler do CPU.

A lateral oposta simetrica ao outro lado.

O topo, com a perfuração a manter exactamente o mesmo padrão e dimensões das laterais.

Na parte traseira da caixa encontramos a abertura para o I/O da motherboard (ITX), duas baías PCI-E, o conector para a energia e o único branding existente, onde é também incluído o número de série da caixa. É também visível uma abertura no local onde o bracket das placas gráficas é inserido e fixado. É uma pena que esta abertura não possua um mecanismo que possibilite ser fechado depois de o sistema estar montado.

As partes da frente e de trás em pormenor para percebermos a qualidade de construção e acabamento da caixa.

Na parte de baixo são visíveis algumas aberturas para auxiliar a ventilação da motherboard. Uma zona para instalar dois SSDs, os pés de borracha da caixa e ainda vários parafusos que seguram os painéis laterais e painél que envolve a frente e topo da caixa. Apenas é possível instalar dois SSDs aqui se se usar uma fonte SFX e não uma SFX-L.

Removido o painel lateral direito é acessível a área da motherboard e da fonte de alimentação. Estão também aqui os cabos para ligar os diferentes componentes e o suporte para instalação dos SSDs. Vemos também a parte da extensão PCI-E que se liga à motherboard.

Do lado esquerdo está o compartimento para a instalação da placa gráfica. Uma particularidade da Dan A4-SFX é que permite o uso de placas gráficas de grandes dimensões desde que ocupem apenas dois slots.

São visíveis a outra extremidade da extensão PCI-E e um plástico anti-estático para separar a placa gráfica da motherboard e da fonte.

Removido o painel de alumínio que cobre a frente e o topo da caixa são visíveis as estruturas interiores do botão para ligar e desligar o computador e também da porta USB 3.0. Nos próximos meses estará disponível um cabo que permitirá alterar este cabo USB 3.0 para um USB C 3.1.

A abertura visível serve para facilitar a passagem de cabos para a frente da caixa onde é possível instalar um SSD.

A estrutura da caixa. Se for necessário é possível desmontar o suporte da fonte de alimentação para ser mais fácil a sua montagem. Isto é especialmente útil para as fontes SFX da Corsair devido à posição do conector do cabo de alimentação. Isto é a única instrução que na minha opinião devia vir no manual e está ausente.

Pormenor do suporte para os SSDs, do cabo USB 3.0 para ligar à motherboard e do cabo extensor da fonte de alimentação em L.

Pormenor da extensão de PCI-E da 3M. Este componente aporta quase 40% do custo total da caixa.

O suporte para os SSDs em detalhe. Para o remover é preciso desapertar dois parafusos, ou os da frente ou os de trás, depois basta deslizar o suporte nessa direcção para o remover.

O saco com os parafusos necessários para a instalação da motherboard, fonte de alimentação e discos.

Proteção anti-estática para a placa gráfica e sistema de encaixe dos SSDs em detalhe.

Pormenor o botão on/off.

A outra parte do botão on/off, a que faz parte da componente exterior da caixa. Devido a este tipo de construção faz com que seja um bocadinho “squishy”, mas não é nada de grave.

A montagem dos painéis laterais é feita através do sistema de “Push Pin” da Lian-Li, que é o fabricante desta caixa. Os painéis laterais ficam tão bem encaixados que nem é preciso os aparafusar na parte de baixo da caixa.

Uma vez que não tenho mais nenhuma caixa para poder mostrar uma relação entre os tamanhos delas fiz o melhor que pude desta forma. Essencialmente é do tamanho de uma folha A4.

Para terminar.

Este é o primeiro PC que vou montar e servirá para complementar o meu portátil nas tarefas mais pesadas. Podia ter optado por algo maior, mas achei que se era possível ter algo deste tamanho, transportável até, sem muitos compromissos então era a melhor escolha.

A principal preocupação a ter para montar um sistema nesta caixa é o Cooler para o CPU. Devido aos 50mm de altura máxima para este componente não existem muitas escolhas possíveis. No entanto já várias pessoas montaram sistemas com CPUs de 90 ou 140 watts de TDP conseguindo ter neles Coolers adequados.

Foi uma longa espera para finalmente a ter na minha posse, corri o risco do Kickstarter mas mas contas feitas valeu a pena. Até aparecer outra tão ou mais pequena que me chame mais a atenção…

 

Etiquetas

Artigos Relacionados

Close