Análises

Opera Mobile 10.1 para Android. Bom ou nem por isso?

A Opera lançou há umas semanas o browser Opera Mobile para Android, em acréscimo ao Opera Mini. Ao contrário deste último, o Opera Mobile é um browser completo, com o motor de rendering Presto a utilizar o hardware disponível no telemóvel para descarregar e mostrar as páginas web. Nos últimos dias temos estado a testá-lo num Nexus One.

Com o modo Turbo activo (feito manualmente nas definições), o Opera Mobile torna-se num browser bastante mais rápido do que o browser incluído pela Google na plataforma Android. O preço a pagar é uma menor qualidade das imagens, pois toda a informação é comprimida nos servidores da Opera de forma a diminuir o tamanho de cada página. No entanto, a diferença de velocidade é particularmente visível quando se utiliza a rede 3G.

O Opera Link mais não é que um modo de sincronização de várias instalações diferentes do browser. Assim, podemos ter todos os nossos bookmarks e configurações guardados pela empresa, de forma a que não tenhamos de repetir o trabalho de cada vez que utilizamos o browser num novo dispositivo.

Comparando o Opera Mobile com o browser standard, o modo speed dial (em que definimos nove páginas a aparecer quando lançamos o browser) e a navegação por tabs aproximam a utilização de um telemóvel do que habitualmente temos num computador. O Opera Mobile é também bastante rápido a abrir e bastante rápido a reagir a comandos. O zooming dentro de páginas também se encontra bem implementado.

Não obstante, alguns problemas se levantam.

Em primeiro lugar, o scrolling não é tão suave como o browser standard. Isto é particularmente notório quando fazemos zoom e aparece a scroll bar em baixo indicando que podemos navegar dentro da página um pouco para a esquerda ou para a direita. A consequência é que quando queremos fazer scroll para baixo, a deslocação da página “abana”. Melhor dito, parece um bêbado a tentar andar a direito. É, no mínimo, um pouco irritante.

Em segundo lugar, o Opera Mobile carece da integração com a restante plataforma, em particular com os serviços do Google. Afinal de contas, é apenas mais uma aplicação como qualquer outra que instalamos.

Em terceiro lugar, a instalação consome cerca de 20MB de memória interna do telefone. É possível passar a instalação para o cartão SD, mas apenas parcialmente, ficando ainda 13MB instalados do lado do telemóvel. Para quem tem pouco espaço disponível isto pode ser um problema importante.

Conclusão, devem instalar o Opera Mobile nos vossos telemóveis Android? A resposta é, como quase sempre, depende. Se habitualmente estiverem numa rede lenta (ou o vosso modelo goste pouco de carregar páginas rapidamente) ou se utilizarem a sincronização oferecida pelo Opera Link sim. Caso contrário não vos traz muito de novo. No meu caso em concreto, o speed dial e a compressão de páginas (menos Kb consumidos) faz-me mantê-lo instalado para as páginas que acedo com mais frequência.

Veredicto: Depende

Preço: grátis

Etiquetas

Artigos Relacionados

Close
Close