AnálisesDestaque

Toshiba TR200 240GB

Benchmarks

Este SSD foi testado lado a lado com alguns dos seus antecessores, nomeadamente, o OCZ Vector 180 de 240GB, uma drive SATA de gama alta baseada em flash planar MLC, e o Toshiba TR150 de 480GB, a drive SATA baseada em memória TLC planar que é agora directamente substituída por estes novos TR200.
A título de curiosidade incluímos os resultados de um par de drives NVMe, a Corsair MP500 e a Toshiba RD400, cujos resultados já tinham sido obtidos anteriormente no mesmo sistema. Estas drives apresentam, obviamente, resultados de outro nível, pelo que os comentários abaixo serão maioritariamente dirigidos à comparação entre as drives SATA.
E por falar em sistema, a configuração completa usada neste teste foi a seguinte:

 

CPU Ryzen 7 1700
Motherboard MSI X370 SLI Plus
RAM G.Skill Flare X 2x8GB  3200MHz CL14
Drive de sistema Toshiba RD400
Cooling AMD Wraith Spire RGB
Fonte de alimentação Corsair CS750M
Caixa Antec One

AIDA64

O conjunto de testes de armazenamento do AIDA 64 apenas testa o desempenho de leitura. Aqui o TR200 dá muito boa conta de si, tendo resultados tão bons ou melhores que os seus irmãos mais velhos e no limiar do que é possível para uma drive SATA.

CrystalDiskMark

Neste benchmark, mais uma vez, o TR200 consegue resultados similares aos antecessores. O pouco que perde em escrita sequencial, recupera na escrita aleatória 4K, em relação ao TR150, o que até consideramos uma boa troca, a favor do novo modelo.

AS-SSD

O teste de escrita sequencial do AS-SSD parece afectar a nova drive um pouco mais severamente, resultado que é, de novo, compensado pela performance em leitura e escrita aleatória, porventura um pouco mais relevante para a performance no dia a dia.
O teste de tempo de acesso parece, também, evidenciar que esta drive tem na escrita o seu calcanhar de Aquiles, pelo menos em algumas situações.

Anvil

O Anvil reforça a ideia que já se tinha começado a formar no AS-SSD, de que a escrita é o ponto mais fraco deste novo TR200, com uma diferença algo marcada para os restantes nesse teste a afectar também a pontuação final.

ATTO

 

O ATTO é conhecido por mostrar a melhor performance de que cada SSD é capaz, e este TR200 não é excepção, conseguindo excelentes resultados, no limite do que é possível para uma drive SATA, logo a partir de um tamanho de bloco de 64kB, tanto em leitura como em escrita.

PCMark 7

Os testes de armazenamento do PCMark 7 simulam algumas tarefas quotidianas, que permitem derivar uma ideia do desempenho das drives nesses cenários. Aqui, o desempenho de todas a drives é bastante semelhante, salvo uma ou outra excepção, mostrando que no que toca aos benefícios que um SSD traz ao dia-a-dia, não existem drives más.

PCMark 8


O PCMark 8 confirma a conclusão tecida com os resultados da versão 7. Tirando o teste de largura de banda, todas as drives em teste são virtualmente indistinguíveis à vista desarmada, neste tipo de tarefas.

Escrita sequencial contínua

Vector 180:

TR150:

TR200:

 

Aqui vemos a influência do tipo de memória usado. O Vector 180 consegue manter a performance ao longo de toda a transferência, graças à memória MLC que utiliza. Os dois TR mostram resultados típicos de drives TLC: Estes resultados são típicos de drives baseadas em memória TLC: performance elevada numa fase inicial, devido ao uso de uma cache SLC, com uma quebra acentuada quando a cache se esgota. Em ambos os casos a quebra dá-se após cerca de 6GB transferidos, dando uma indicação aproximada do tamanho da cache. A queda do TR 200 é particularmente acentuada por se tratar de uma drive de apenas 240GB, que não desfruta do paralelismo da escrita para diversos pacotes de memória em simultâneo na mesma medida do TR150 de 480GB testado. Além disso, a memória usada no TR200 é de densidade muito elevada, e desconfiamos que apenas dois pacotes de flash são usados no modelo de 240GB, exacerbando ainda mais essa limitação.
No dia a dia, a cache SLC deverá ser suficiente para que a performance seja satisfatória na grande maioria das situações.

Em geral, o Toshiba TR200 demonstrou performance muito aceitável e perfeitamente de acordo com o seu posicionamento no mercado.
Em algumas situações a performance de escrita ficou um pouco aquém, provavelmente uma mistura das limitações da flash TLC com alguma falta de performance de um controlador privado de memória RAM, mas tal já seria de esperar de uma drive com estas características e em momento algum detectamos uma falha de performance realmente catastrófica.

Página anterior 1 2 3 4 5Página seguinte
Etiquetas
Back to top button
Close
Close