AnálisesComparativoDestaque

Comparativo nVIDIA RTX 2080ti, GTX 1080ti e GTX 980ti

Será Turing uma verdadeira geração para suceder Pascal e Maxwell?

Comparativo Jogos

Deus Ex Mankind Divided

Este jogo da Square Enix, portado para pc pela nixxes, utiliza o Dawn Engine e passou a ter suporte para DX12 após um patch apesar de ser apenas um wrapper e na maioria das situações acaba por piorar a performance. Foi utilizado o benchmark in-game e foram usadas as definições com tudo no máximo excepto MSAA que foi desligado (penalização de performance proibitiva).

A 1440p pode-se ver que temos uma progressão praticamente linear entre cada geração. Apenas a GTX 980ti necessita alguns ajustes para conseguir chegar aos 60fps nesta resolução.

A 4K nem a RTX 2080ti será suficiente para atingir os 60fps de média ficando-se pelos 58,3 fps de média e com 47,6 fps no 1% Mínimo.

DOOM

Jogo da id Software que dispensa apresentações. Utiliza o motor de jogo id Tech 6 e passou a suportar Vulkan como API alternativa ao Open GL após um patch. Foram utilizadas todas as definições no máximo e o benchmark decorreu numa secção do nível Argent Energy Tower que é dos poucos que não satura nos 200fps de limite do motor de jogo.

A implementação Vulkan do Id Tech 6 é simplesmente soberba e é incrível como mesmo a 4K a RTX 2080ti continua a ficar limitada pelo processador. A 1440p o CPU é claramente o factor limitador e não dá para distinguir a performance entre gráficas. Só em 4K começamos a ter finalmente diferenças mas mesmo assim até a GTX 980ti continua a proporcionar uma experiência perfeita. Quanto às diferenças entre gráficas a 4K continuamos a ter uma melhoria quase linear entre gerações e só não o é mais porque o processador está a limitar a RTC 2080ti.

Wolfenstein II: The New Colossus

Mais um jogo da id Software com o engine id Tech 6. Neste caso trata-se de um engine melhorado que apenas trás suporte para Vulkan e já não temos o limite de 200fps. Foram utilizados as definições todas no máximo com AA em TSSAA (8TX). O benchmark foi corrido numa secção do primeiro nível em que havia bastantes efeitos volumétricos e detalhe de geometria.

Ao contrário do DOOM como não temos limitação de processador já conseguimos observar uma evolução linear de performance por gerações excepto a 4K onde a GTX 980ti tem uma grande quebra. Uma vez que com as outras a VRAM utilizada andava pelos 7-8GB a 4K, os 6GB da GTX 980ti foram claramente o factor limitador.

Kingdom Come Deliverance

Jogo da Warhorse Studios que utiliza o Cry Engine e consegue ser bastante pesado. Foi utilizado o preset Ultra com texturas HD activadas e o benchmark consistiu a entrar numa aldeia com bastantes NPCs.

A 1440p voltamos a observar uma melhoria aproximadamente linear entre cada geração. Já a 4K as definições são demasiado até mesmo para a RTX que atingiu uma média de apenas 46,6fps com 40,3fps de mínimo 1%.

Middle-earth: Shadow of War

Jogo da Monolith e faz uso do motor LithTech. Foi usado Ultra com as texturas forçadas a Ultra e o benchmark fez uso do benchmark disponibilizado pelo jogo.

Novamente observamos uma progressão linear entre gerações. A 1440p apenas a GTX 980ti necessitaria de algumas modificações de definições para atingir os 60fps. A 4K apenas a RTX 2080ti tem músculo para correr sem grandes espinhas acima de 60fps.

Quantum Break

Jogo da Remedy com o Northlight Engine. Infelizmente o port de consolas está bastante mal optimizado. Teve um primeiro lançamento em DX12 na store do windows e mais tarde em DX11 no steam. Foram usadas as definições no máximo e o benchmark consistiu em atravessar o campus universitário no início do jogo.

Apenas a RTX 2080ti tem capacidade de correr este jogo em 1440p confortavelmente com tudo no máximo. A performance escala linearmente e não foram feitos quaisquer testes a 4K uma vez que a performance a 1440p já era tão baixa.

Rise of the Tomb Raider

Jogo da Square Enix com port de PC pela nixxes que faz uso do motor Foundation que é uma versão altamente modificada do motor Crystal.  O jogo passou a ter suporte para DX12 num patch mas tal não passava de um wrapper com ganhos de performance duvidosos. Foram usadas todas as definições no máximo com anti-aliasing SSAA 2x. O benchmark consistiu numa travessia do geothermal valley.

Neste jogo temos um ganho menor pela RTX 2080ti. A 4K nem a RTX 2080ti consegui atingir os 60fps de média e ficou-se pelos 45,3fps com 41,1fps de mínimo 1%.

Shadow of the Tomb Raider

Jogo da Square Enix portado para PC novamente pela nixxes com o mesmo engine. No entanto desta vez o engine foi revolucionado em torno de DX12 e passou a ser um excelente caso de estudo de um bom engine DX12. Foram usadas todas as definições no máximo com anti-aliasing SMAA T2x. O benchmark consistiu numa travessia do mapa Hidden City.

Novamente observamos um ganho quase linear. A 4K novamente nem a RTX 2080ti tem músculo para 60fps de média e ficou-se pelos 53fps com 47,2fps de mínimo 1%.

The Witcher 3

Jogo da CD Projekt Red e usa o Red Engine. Os testes foram efectuados com todas as definições no máximo (inclusive o infame hair works) e consistiram numa travessia da cidade de Novigrad.

A 1440p temos uma progressão linear entre gerações e todas são capazes de proporcionar uma boa jogabilidade. No entanto a 4K a GTX 980ti é afectada por falta de VRAM e a GTX 1080ti quase que consegue os 60fps de média.

Mass Effect Andromeda

Jogo da Bioware com o motor Frostbite. Os testes foram realizados com as definições todas no máximo e o teste consistia em atravessar parte do mapa de Havarl.

Neste jogo temos a GTX 1080ti um pouco mais próxima da RTX 2080ti do que da GTX 980ti. A 4K apenas a RTX 2080ti tem capacidade de atingir médias aceitáveis com tudo no máximo.

Star Wars Battlefront 2

Jogo da DICE com o motor Frostbite. O jogo oferece um modo DX12 que consiste apenas num wrapper com performance duvidosa. Os testes fora feitos com as definições no máximo e o teste foi realizado no início da missão single player “The Storm” que tem bastantes NPCs, screen space reflections e efeitos volumétricos.

Tal como no Mass Effect Andromeda parece que a GTX 980ti se dá pior com o motor Frostbite. No entanto permite jogar confortavelmente a 1440p. Para 4K com tudo no máximo será necessário no mínimo uma GTX 1080ti. É curioso notar que neste caso específico a GTX 980ti apresenta uma performance superior em DX12 a 4K.

Battlefield 1

Mais um jogo da DICE com o motor Frostbite. Oferece também um modo DX12 mas tal como no Star Wars Battlefront 2 a performance é duvidosa. Os testes foram efectuados com todas as definições no máximo e o teste decorreu no início da primeira missão com muitos NPCs, efeitos volumétricos e efeitos de partículas.

Novamente vemos a GTX 980ti a sofrer um pouco mais com este motor. Nota curiosa que o jogo a 1440p apresentava uma performance muito errática com a GTX 1080ti e RTX 2080ti em DX12. Já com a GTX 980ti o gráfico de tempos de frame ao longo do teste apresentava-se praticamente liso com pouca ou nenhuma oscilação.

Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands

Jogo da Ubisoft com o motor AnvilNext 2.0. O jogo foi testado com as definições no máximo e foi utilizado o benchmark in-game.

Neste teste a GTX 980ti sofreu bastante de falta de VRAM dado que o jogo nas definições máximas anda pelos 7-8GB. Para 4K nem a RTX 2080ti conseguiu atingir a apetecida marca dos 60fps de média e ficou-se pelos 51,4fps com 42,5fps de mínimo 1%.

Far Cry 5

Jogo da Ubisoft com o motor Dunia. Foram utilizadas todas as definições no máximo e foi utilizado o benchmark in-game

Jogo onde novamente os 6GB de VRAM da GTX 980ti se tornam um problema. No entanto todas permitem uma boa jogabilidade a 1440p e a 4K apenas a RTX 2080ti permite ficar sempre acima dos 60fps.

Hitman

Jogo da IO Interactive com port para PC pela nixxes e usa o motor Glacier. O jogo suporta o modo DX12 mas aparentemente apenas como wrapper. Os testes foram feitos com todas as definições no máximo e utilizado o benchmark do próprio jogo.

O jogo é um quanto instável e não consegui correr de todo o teste a 1440p DX12 na RTX 2080ti apesar de ter conseguido sem problemas a 4K. Mesmo noutras definições e em todas as gráficas por vezes tinha de tentar arrancar o benchmark mais que uma vez até finalmente funcionar sem crashar. A implementação DX12 claramente sofre de problemas de consistência de tempos de frames com paragens longas em mudanças de cena. Em todos os testes a performance foi boa excepto na GTX 980ti a 4K devido novamente ao problema de falta de VRAM.

Resumo de Performance Relativa em Jogos

Se não contarmos com os casos em que o CPU estava a ser bottleneck (DOOM e Hitman) podemos constatar que temos uma diminuição de 25% a cada salto para trás numa geração. Isto implica que a nVIDIA conseguiu entregar um incremento absoluto igual a cada geração.

A 4K temos então uma queda mais pronunciada da GTX 980ti que se deve essencialmente a limites de VRAM e estranhamente uma aproximação da GTX 1080ti à RTX 2080ti. Nos 4K deverá estar a ser atingido algum bottleneck interno na arquitectura que a Turing não conseguiu resolver.

Arquiteturas
Metodologia do Comparativo
Comparativo Jogos
DX11 vs DX12 e OpenGL vs Vilkan, Comparativo Computacional
Novas Tecnologias, Conclusão

Página anterior 1 2 3 4 5Página seguinte
Etiquetas

Artigos Relacionados

Close
Close