AnálisesDestaque

Shuttle XPC Slim DH370

A caixa é pequena mas o processador é "grande"

Performance

Para tentarmos perceber se espremer hardware de desktop dentro de uma caixa tão pequena tem algum efeito adverso na performance começamos por correr alguns benchmarks padrão no DH370.
De seguida metemos o i3 8100 numa Gigabyte Aorus Z370 Ultra Gaming, junto com a mesma drive de sistema e memória à mesma velocidade.
Os resultados foram os que se seguem:

Blender

Mais do que medir a performance em renderização, este teste serviu acima de tudo para ver como se comportava o DH370 em situações de carga elevada continua. Como se pode ver, passou o teste sem qualquer problema.

CineBENCH R15

CineBENCH R20

Nenhuma das versões testadas do CineBENCH acusou qualquer problema com o sistema em miniatura.

Web Browsing

Web browsing será, talvez uma das tarefas mais prevalecentes em sistemas como o DH370. Felizmente, também aqui demonstrou ser indistinguível de um sistema clássico.

x265

Por esta altura, a tendência já começa a estar definitivamente marcada. Também em encoding de vídeo h265 a performance foi virtualmente idêntica entre os dois sistema.

PCMark 10

O PCMark 10 confirma definitivamente o veredicto, ao dar pontuações muito semelhantes aos dois sistemas nos seus conjuntos de testes de cenários reais.

F1 2017

Uma mera curiosidade, já que jogar não será, com certeza, o objetivo primário (ou sequer secundário) de um sistema como este.
Fica, sobretudo, a certeza de que o formato reduzido do DH370 também não afeta a performance do IGP.

Temperaturas e ruído

Oficialmente, o DH370 apenas suporta CPUs com TDP até 65W. Na prática isto traduz-se em todos os CPUs de 8ª geração exceto os K.
Ora, além do i3 8100 do teste, só disponhamos de um i5 8600K, de 91W, compatível com este socket. E claro que não resistimos a experimentar…

Não só funcionou, como funcionou bastante bem, e acabou por servir de prova de fogo ao sistema de cooling do DH370.
Os 3,3GHz em que o CPU estabilizou a correr Blender são abaixo dos 3,6GHz de clock base do 8600K, o que indica algum throttling, mas são, ainda assim, superiores ao clock base de todos os CPUs de 6 núcleos oficialmente suportados (com TDP de 65W).
Além disso, reparando nas temperaturas, vemos que estas nunca ultrapassaram os 75ºC, o que é notável, tendo em conta o tamanho do dissipador. E que pode indicar que o throttling seja mais uma questão de limitação da alimentação do que propriamente por limites térmicos. Em testes single-threaded não encontramos nenhum limite, com o CPU a atingir os 4,3GHz com regularidade.
De ressalvar que o i3 8100 nunca deu menos do que os 3,6GHz que é suposto dar, durante todos os testes.
Quanto ao ruído, é notável o quão pouco este sistema faz. À primeira vista as duas ventoinhas de dimensões diminutas fazem temer o pior, mas na prática o DH370 pouco se faz ouvir em carga baixa e utilização quotidiana.
Quando lhe damos trabalho mais pesado, ai não há como escapar às necessidades de ventilação de 65W, e o sistema torna-se definitivamente audível, produzindo cerca de 30db a 0,5m de distância. Quanto ao tom, nestas situações, é o tipo de ruído que se perde facilmente em ambientes com ruído de fundo, mas que se pode tornar um pouco incomodativo em ambientes mais silenciosos.
Tudo somando, a solução de cooling que a Shuttle aqui emprega revelou plena competência, estando perfeitamente à altura do trabalho que tem de desempenhar, tendo até excedido um pouco as expectativas, tanto a nível térmico como acústico.

Página anterior 1 2 3 4Página seguinte
Etiquetas

Artigos Relacionados

Back to top button
Close
Close