AnálisesDestaque

Análise Samsung Galaxy Tab

Primeiras Impressões – Performance, Bateria e Aspecto.

Tal como o iPad pode ser comparado ao iPhone como sendo um dispositivo exactamente igual apenas com ligeiros melhoramentos nas características técnicas do mesmo e acima de tudo um ecrã maior, como a maior parte das pessoas que conheço costuma dizer “é apenas um iPhone gigante que não faz chamadas e não tem câmara” podemos quase dizer o mesmo do Galaxy Tab. E digo quase porque existem pequenas e subtis diferenças, além do ecrã e ao contrário do iPad em comparação com o iPhone, a versão Europeia do Tab mantém a possibilidade de efectuar chamadas recorrendo a um cartão SIM, ao contrário do iPad que apenas o pode fazer recorrendo a aplicações de VoIP, e possui além de uma câmara traseira de 3.2 Megapixel, uma câmara frontal que permite fazer vídeo-chamadas.

O equipamento é bastante rápido e fluido na navegação entre ecrãs, entre aplicações ou mesmo quando utilizamos uma aplicação, contudo devido ao ecrã ser um autêntico íman de dedadas por vezes acabamos por limitar o tempo de resposta, algo que é facilmente resolvido com uma película protectora, contudo num dispositivo com um valor tão elevado seria de esperar alguma solução directamente incluída no conjunto.

O grande problema no Tablet não é a fraca performance no geral, mas sim pequenos problemas ou glitches que em conjunto dão uma má imagem ao dispositivo de topo da Samsung. Deparamo-nos por várias vezes com lentidão em algumas aplicações que supostamente não deveriam sequer fazer mossa na capacidade de processamento do A8 como por exemplo a galeria, a navegação na internet apesar de bastante razoável via Wi-Fi, salientamos e utilizamos a palavra razoável para classificar a navegação porque  apesar de ter suporte a flash, o tempo de carregamento ou mesmo de “scroll” na própria página após o carregamento completo dos conteúdos acaba por ser negativo sofrendo mesmo de arrastamento em algumas páginas que visitamos, como a página da Samsung Portugal por exemplo, porque com o flash desactivado o tab garante a melhor navegação web num dispositivo com Android, equiparando-se ou mesmo ultrapassando a experiência de navegação do iOS.

Uma vez que não dispúnhamos de um cartão com plano de dados activos de momento não testamos esta vertente contudo não será difícil imaginar que a performance será melhor, pelo contrário.

Referente à bateria o Tab comporta-se razoavelmente bem, após alguns dias a “brincar” com as opções de energia ou algumas horas caso já tenha tido um dispositivo com Android, conseguimos passar de umas meras 4 horas de bateria para 8 a 12 horas caso utilize frequentemente o dispositivo ou sensivelmente 1 dia e meio caso o uso dado seja ocasional.

Convém aqui distinguir que o uso frequente a que nos referimos é alguns períodos intercalados de jogos (30/45min) algumas horas de música (+ de 4h) e a utilização das aplicações de produtividade do equipamento assim como navegação na Internet.

O uso ocasional refere-se á consulta dos e-mails conforme íamos recebendo com a capacidade de “push-mail”  a visualização de alguns sites ocasionalmente e a utilização das aplicações de produtividade sem nunca ter utilizado as funções multimédia do equipamento.

Deixamos também a ressalva que o Tab não permite ser carregado via USB ligado a um computador ou outro dispositivo. A bateria mantém-se inalterada independentemente da acção realizada uma vez que o mesmo recorre à energia do dispositivo onde está ligado, mas não carrega, mesmo não estando a realizar qualquer função, sendo necessário ligar a uma tomada normal de 220v para poder carregar o Tablet.

Independentemente do uso dado ao dispositivo, caso a utilização fosse superior a 45/60min começa-se a notar um sobreaquecimento exagerado da bateria o que significa uma perda superior de tempo útil de bateria devido á dissipação de energia facto que demonstra que o ou processador não é eficiente, ou a forma como está a ser utilizado não é a mais correcta.

Para tentar auxiliar neste problema a Samsung trás pré-instalado um gestor de tarefas de forma a podermos gerir as aplicações a correr em background para evitar um desgaste desnecessário da bateria devido á funcionalidade de multitasking.

Referente ao aspecto deparamo-nos com um equipamento com um design soberbo, robusto apesar da sua construção de plástico e capaz de agradar à grande maioria dos amantes de gadgets e novas tecnologias.

Na parte frontal do tablet temos 4 botões capacitivos nomeadamente o botão de menu, home, retroceder e procurar retro-iluminados e de fácil acesso, por vezes até demais, principalmente quando estamos por exemplo a ver um vídeo e a agarrar as laterais do tablet, contudo esta situação foi pensada pela Samsung e caso estejamos a visualizar um vídeo podemos bloquear o tablet o que faz com que as interacções com os botões sejam ignoradas.

Na lateral temos os botões para aumentar e diminuir o volume e o botão para bloquear o tablet visível na imagem abaixo assim como a entrada para o cartão SIM e microSD.

Por fim no topo temos a entrada para auriculares ou auscultadores.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7 8Página seguinte
Etiquetas

Artigos Relacionados

Back to top button
Close
Close