Artigos

WebOS: Tablets e Netbooks

Introdução

Como muitos de vocês sabem, a Palm foi comprada pela HP e com isso parece que muitas coisas vão mudar.
Historicamente a Palm foi uma das revolucionarias do mercado móvel, à bastantes anos atrás, especialmente no mundo dos PDAs. Na altura o que a Palm fazia era revolucionário e ganhou grande reconhecimento por parte do público.

No entanto, a Palm teve vários problemas durante a sua história. Um sistema operativo que foi ficando desactualizado, promessas de um novo sistema operativo baseado em Linux, várias divisões, etc. Ao fim de algum tempo sem quase se saber nada sobre a Palm, eles anunciaram um novo sistema operativo, na altura virado para telemóveis. O WebOS, que veio acompanhado com o Palm Pre e Pixi.

Especialmente ao WebOS foram reconhecidas grandes vantagens de um sistema operativo para aquele mercado. Os telemóveis em si foram mais controversos, com muitas pessoas a não gostarem dos formatos e com grandes problemas de qualidade no início.

Apesar de todo este reconhecimento, a Palm era uma empresa isolada, com pouco dinheiro e com a concorrência enorme do iPhone além Windows Mobile, Symbian e Android.
A Palm não se conseguiu aguentar isolada e por isso foi comprada pela HP.

Tablets

Quando da compra da PALM pela HP, ficou-se a saber que a HP queria o WebOS para mais dispositivos do que telemóveis, mas não foi explicado em que modo.
Entretanto aconteceram alguns factos um pouco estranhos:
1. Na CES do ano passado uma das grandes “bombas” por parte da Microsoft foi a apresentação do HP Slate, um tablet a correr Windows e que seria apenas um de muitos mais tablets.
O Slate acabou por sair, mas para o mercado empresarial e sem grande promoção por parte da HP. Os Tablets da Microsoft também se tornaram uma miragem.
2. A HP anunciou que iria usar o WebOS…em impressoras, o que não era propriamente o que se estava à espera.
3. Eu recebi o material promocional da HP para a CES deste ano, com os produtos que iriam ser apresentados e WebOS, nada. Completamente nada sobre este assunto.
Esperei para ver se na apresentação da Microsoft iria aparecer algum tablet da HP, mas nada.

Passou a CES e agora aparecem notícias sobre os futuros planos da HP para tablets, que afinal, sempre vai passar pelo WebOS.
Serão apresentados dois modelos, com o nome de código “Topaz”, de 9 polegadas e “Opal” de 7 polegadas.
Ficam aqui duas imagens do “Topaz”:

Do que é visto nas imagens, este tablet não terá botões, tem uma câmara frontal, uma entrada micro-usb na parte de baixo e três colunas para um efeito stereo, tanto no modo “portrait” como no modo “landscape”.

Está também anunciado para dia 9 de Fevereiro um anúncio da HP e fala-se que terá um processador a 1.2 Ghz.

Também houve um leak de uma imagem, de quando provavelmente sairá a versão Opal. Setembro de 2011:

Netbooks

E quando se podia pensar que a HP se poderia ficar por aqui, saiu uma imagem de treino interno sobre o WebOS, que dá a entender que vão existir Netbooks a correr WebOS.
Aqui fica a imagem:

A ser verdade, isto seria uma grande notícia este ano, visto que a HP é um dos maiores parceiros da Microsoft e em dois produtos tão importantes, pode começar a usar um sistema operativo interno, WebOS. Nos Netbooks, seria mesmo uma surpresa.

Conclusão

A HP é um dos grandes parceiros da Microsoft, como foi visto na CES do ano passado, no entanto com a compra da PALM por parte da HP, parece que algumas coisas vão mudar.

Parece-me que a HP vê o WebOS como um bom produto e com futuro em diversos dispositivos, mesmo naqueles que menos se espera.
Penso que há várias boas razões para a HP apostar no WebOS.
1. Foi um produto de software bastante admirado, ao ponto da Google ter ido buscar o seu criador à Palm.
2. É uma forma de não ficar dependente de terceiros a nível de software e terem 100% de controlo sobre o produto.
3. Talvez o mais importante. Diferenciarem-se de todos os outros, com uma plataforma capaz e interessante. Enquanto todos os outros “clonam” Windows ou Android, a HP fica numa posição parecida com a Apple, em que podem apresentar produtos únicos.

Falta ver se a HP consegue cumprir com as promessas e como reagirá a competição, especialmente a Microsoft, que já foi tão ligada à HP.

Etiquetas

Artigos Relacionados

Close
Close