Notícias

Keynote Google I/O ’11, novidades Chrome e Chrome OS

Na Google I/O 2011 a apresentação do segundo e último dia focou-se na família Chrome, começando pelo browser, seguindo-se novidades do ChromeOS e o lançamento próximo dos portáteis “Chromebooks”.

O navegador web — vulgo browser — da Google, o Chrome, é agora usado por 160 milhões de utilizadores globalmente.
Após o lançamento do Chrome estável para Mac e Windows foi mantida uma estratégia de actualizar de 6 em 6 semanas o browser, adicionando a cada versão suporte para novas tecnologias cobertas pelo conjunto de especificações HTML5. Foi também melhorada a performance para código Javascript executado, e foi dada uma importância grande à aceleração de conteúdo por hardware. Um desses conteúdos é CSS, a especificação de estilos para a web, que permite na mais recente versão do standard animações e transformações inclusive em 3D; este tipo de animações pode ser acelerado por hardware caso este o permita.
WebGL também é outro destes conteúdos. O seu aparecimento permite o desenvolvimento de várias novas aplicações, nomeadamente jogos.
Um desses jogos, lançado durante a apresentação, é o popular título da Rovio “Angry Birds”, trazido para a web fazendo uso de WebGL bem como suporte para uma versão HD caso aceleração por hardware seja suportada. Para browsers que não suportam a tecnologia WebGL a Rovio permite a utilização do elemento de desenho Canvas, parte também da família HTML5.

A Chrome Web Store, anunciada na edição de 2010 da conferência e lançada em Dezembro conta com 17 milhões de instalações de aplicações em 3 meses.
A Google traz agora a sua loja para 41 outros idiomas, permitido compra de aplicações num vasto leque de países, incluindo Portugal.
Em conjunto com este anúncio a Google também vai auxiliar a compra de conteúdos vendidos dentro da própria aplicação, oferecendo uma implementação simples para os programadores. A receita tem uma quebra de 95/5, ou seja, a Google retém 5% do custo desta compra.

 

Após o anúncio em 2009 do Chrome OS, o sistema operativo construído à volta do browser, a Google comunica nesta apresentação mais detalhes sobre a oferta que estava inicialmente apontada para o final do ano passado.
Ainda que o Chrome OS tenha sido definido como para “nada mais que a web”, a Google fez várias tentativas de mostrar que é possível usar este produto em vários ambientes, demonstrando uma série de casos como em organizações governamentais e grandes e pequenas empresas, em que a adopção teve um sucesso de 75% nos programas de teste.
O projecto piloto para utilizadores individuais, com o equipamento CR-48, teve um milhão de pedidos para adesão, sendo apenas alguns milhares satisfeitos. A Google desde então trabalhou com fabricantes de hardware, Acer e Samsung, para melhorar o conceito, bem como com a Intel para melhorar a performance. Nos Estados Unidos existe também cooperação com a rede Verizon para providenciar conectividade móvel 3G.

O software do sistema operativo para web da Google foi também melhorado, tendo agora um gestor de ficheiros visível ao utilizador, que permite guardar ficheiros transferidos da web, bem como navegar em periféricos, sendo uma novidade. A demonstração recorreu a uma câmara fotográfica para ilustrar a possibilidade de ligar este dispositivo por USB e fazer upload das fotografias para o serviço Picasa, neste exemplo.
Além do gestor de ficheiros existe também um leitor de multimédia dedicado para audio e video, cujo interface fica numa pequena janela sobreposta aos separadores do browser encostada ao fundo, muito semelhante ao que acontece nas janelas de conversa no Gmail online hoje em dia.
Existe também uma colaboração entre a Google e o serviço online box.net para promover a partilha e o armazenamento de ficheiros na Cloud, tendo sido também referido o popular serviço Dropbox, que estará em fase de adoptar o sistema operativo Chrome OS.

A oferta de hardware do Chrome OS foi apresentada com dois portáteis a que a Google chamou “Chromebooks”.


A Samsung disponibiliza um portátil com ecrã de 12.1 polegadas, com resolução de 1280×800 pixels, com um peso de 1.48Kg e uma bateria com autonomia de 8.5 horas e uma saída de vídeo Mini-VGA. O preço de venda será e para as versões sem e com suporte para 3G.


A Acer tem um portátil de tamanho mais reduzido, 11.6 polegadas, pesando 1.34Kg. A bateria tem uma autonomia de 6 horas e existe uma saída de vídeo HDMI. O preço anunciado começa nos
Ambos os equipamentos têm como processador um Intel Atom Dual Core, estão equipados com câmara HD e um microfone com cancelamento de ruído, duas portas USB, leitor de cartões 4-em-1, e um teclado de tamanho normal.
O lançamento destes equipamentos é feito no próximo dia 15 de Junho nos EUA, Reino Unido, Alemanha, França, Espanha, entre outros. Portugal e outros países terão acesso aos Chromebooks em meses posteriores.
A Google fez ainda questão de anunciar que, independentemente da vontade dos fabricantes, vai permitir “jailbreak” no Chrome OS, deixando assim os utilizadores ter acesso a componentes do sistema como o Kernel.

Em conjunto com este hardware, a Google vai lançar dois pacotes de serviços de subscrição de software e hardware para educação e empresas/governo.
As vantagens que a Google aponta são a facilidade de gestão e distribuição de Chromebooks, a segurança do sistema Chrome OS e a encriptação dos dados no disco, e a vantagem de ter toda a informação na Cloud, não sendo necessários backups para repor dados do utilizador caso este mude de máquina.
A Google dá um painel de ferramentas para gestão, WebConsole, que permite gerir utilizadores, aplicações web e políticas de gestão para a organização, incluindo permissões para aplicações web e extensões.
O pacote de subscrição cobre também suporte, garantia e substituição do equipamento em caso de avaria, e actualizações de hardware sempre que este entra em fim de ciclo de vida.
Os preços dos planos são de mensais por utilizador para empresas, e mensais por utilizador para instituições de educação.

A Google também indicou que sabe que existem utilizadores que não fazem uso da mobilidade de um portátil, e da necessidade de alguns terem um ecrã ainda maior, tendo mostrado que está a ser desenvolvido uma versão desktop do hardware, de pequenas dimensões, não tendo revelado mais detalhes sobre este equipamento.

A Google I/O continua a decorrer durante o dia de hoje, 11 de Maio, sendo transmitidas algumas das sessões online em www.google.com/io.

Fontes: www.google.com/io, Google Code Blog. Imagens cortesia da Google.

Etiquetas

Artigos Relacionados

Close