ArtigosDestaque

FreeBSD: Uma introdução

Introdução

Este é um artigo sobre um sistema operativo, open source, que tem pelo nome FreeBSD e que pertence a uma família de sistemas operativos que têm a designação de BSD (Berkeley Software Distribution).

O artigo não tem grandes pretensões. O objectivo é dar a conhecer em teoria e um pouco na prática este sistema operativo, mas não serve de guia, nem um estudo teórico muito aprofundado.

Eu próprio raramente uso FreeBSD, porque as primeiras escolhas vão sempre para um Windows ou um distribuição de Linux, mas quando uso, gosto da sua simplicidade e é um sistema operativo com o qual simpatizo.

Para ter uma ideia melhor de FreeBSD, para além deste artigo, penso que o melhor é ler o seu Handbook, que é das melhores documentações grátis que existe de um sistema operativo e que ajuda a perceber o conceito de sistemas operativos Unix e seus derivados.

 

As diferenças entre FreeBSD e Linux

Em primeiro lugar é preciso notar três principais diferenças entre Linux e FreeBSD, visto que muitas pessoas podem pensar que só existe Linux no mundo Open Source e/ou que BSD existe apenas como base para o OS X e iOS.

A primeira grande diferença é que Linux é apenas um Kernel e não um sistema operativos. O que corre em cima do kernel de Linux pode variar muito e está a cargo das distribuições que usam este kernel.
FreeBSD é um sistema operativo completo, onde o kernel é apenas um dos componentes. O desenvolvimento não se restringe apenas ao kernel, mas sim também aos programas base que correm por cima do kernel.

A segunda diferença é a origem de cada um deles.
FreeBSD é um descendente directo de Unix e considerado como um Unix.
Linux, o kernel e as distribuições baseadas neste kernel seguem os mesmos conceitos de Unix, mas não são descendentes directos.

A terceira diferença está relacionada com as licenças.
Enquanto no mundo Linux se prefere a licença GPL em FreeBSD e outros sistemas operativos BSD, costuma-se usar uma licença dita BSD.

A licença tem três versões, mas a usada em FreeBSD é a mais simplificada:

Copyright {year} {copyright holder}. All rights reserved.

Redistribution and use in source and binary forms, with or without
modification, are permitted provided that the following conditions
are met:

   1. Redistributions of source code must retain the above
      copyright notice, this list of conditions and
      the following disclaimer.

   2. Redistributions in binary form must reproduce the above
      copyright notice, this list of conditions and
      the following disclaimer in the documentation
      and/or other materials provided with the distribution.

THIS SOFTWARE IS PROVIDED BY  ''AS IS''
AND ANY EXPRESS OR IMPLIED WARRANTIES, INCLUDING, BUT NOT
LIMITED TO, THE IMPLIED WARRANTIES OF MERCHANTABILITY AND
FITNESS FOR A PARTICULAR PURPOSE ARE DISCLAIMED.
IN NO EVENT SHALL  OR CONTRIBUTORS
BE LIABLE FOR ANY DIRECT, INDIRECT, INCIDENTAL,
SPECIAL, EXEMPLARY, OR CONSEQUENTIAL DAMAGES (INCLUDING,
BUT NOT LIMITED TO, PROCUREMENT OF SUBSTITUTE GOODS OR
SERVICES; LOSS OF USE, DATA, OR PROFITS; OR BUSINESS INTERRUPTION)
HOWEVER CAUSED AND ON ANY THEORY OF LIABILITY, WHETHER IN CONTRACT
, STRICT LIABILITY, OR TORT (INCLUDING NEGLIGENCE OR OTHERWISE)
ARISING IN ANY WAY OUT OF THE USE OF THIS SOFTWARE, EVEN IF ADVISED
OF THE POSSIBILITY OF SUCH DAMAGE.

The views and conclusions contained in the software and documentation
are those of the authors and should not be interpreted as representing
official policies, either expressed or implied, of .

Existem muitas opiniões diferentes sobre qual das duas licenças é melhor, que dá mais liberdade e mais amigável para as empresas.
É algo que daria para fazer um artigo à parte.

Na prática a licença BSD diz que se pode fazer o que quiser com os binários e o código e que apenas em caso de distribuição, tem que se colocar esta referência.
O trabalho baseado em programas com esta licença pode perfeitamente ser fechado.

Pessoalmente, faço pouco desenvolvimento, sem ser SQL e scripting, mas prefiro da licença BSD. No entanto, acho que sem GPL não haveria um mundo open source tão forte.

Penso que cabe ao leitor decidir que licença acha melhor.

 

História BSD

Vou primeiro começar com a história de BSD e só depois de FreeBSD.

BSD inicialmente não era um sistema operativo, mas sim um bundle de aplicações para Unix.

A primeira versão de BSD apareceu em 1978, feito por um aluno da Universidade de Berkeley e continha um compilador de Pascal e um editor de texto. Este bundle era para um computador famoso na altura chamado PDP-11.

A segunda versão de BSD também foi importante, pois trouxe algumas coisas que ainda são usadas presentemente, como o editor de texto “vi” e “C shell”.

Foi na terceira versão que BSD começou a entrar mais profundamente dentro do sistema operativo.

A universidade tinha um sistema VAX, que por norma deveria correr VMS, mas instalaram Unix, apesar de Unix para VAX ter um enorme contra. Não aproveitava a memória Virtual.

A terceira versão de BSD incluía as ferramentas das anteriores versões e Unix foi alterado para aproveitar memória virtual.

A versão 4, consistiu em melhorias, mas a mais significativa foi a versão 4.2, com a implementação TCP/IP que serviu como base para a Darpa criar uma rede, que mais tarde viria a ser a Internet. Esta release saiu em 1983.

A versão 4.3 também se tornou importante, pois VAX deixou de ser o único sistema suportado e mais importante, existiu uma release com o nome de Net/1, que era distribuída sobre a licença BSD e não estava “agarrada” ao custo de uma licença da AT&T

Em 1991 saiu a versão 4.4 e Net/2, sendo que esta versão por ter uma licença BSD, fez com que aparece-se uma release para x86, chamada de 386BSD.

No entanto em 1992 a AT&T processou a Universidade, por considerar que Net/2 infringia os direitos de copyright de Unix.
Este processo durou dois anos e fez com que o desenvolvimento de BSD estagna-se. Só ao fim de dois anos foi atingido um acordo secreto entre as duas partes. Do acordo saiu uma versão alterada da versão 4.4, com o nome 4.4BSD-Lite, que serviria de base para os outros BSDs.

É de notar o facto que caso não tivesse havido esta disputa legal, provavelmente Linus Torvalds não teria desenvolvido Linux, com as suas parecenças em relação a Unix.

 

História FreeBSD

FreeBSD nasceu de um patch do original 386BSD em 1993 e em pouco tempo foi criado um fork, gerando assim um projecto independente.

Devido aos problemas legais do original 386BSD, a segunda versão só foi lançada em 1995 e tendo como origem do 4.4BSD-Lite.

Este versão teve grande sucesso nos primeiros passos da internet, com algumas empresas grandes a utiliza-lo, como a Yahoo e o Hotmail (antes da compra por parte da Microsoft).

A partir daqui, tem sido um desenvolvimento constante, onde se pode dar grande relevância à versão 4, que foi lançada em 2000, mas o suporte só acabou em 2007.

Esta é a timeline das releases desde a versão 4. Poucos dias atrás foi lançada a versão 9 Beta 1, que vai ser mais uma evoluções que terá grandes novidades.

A versão 3 introduziu suporte para USB e sistemas com múltiplos processadores.

A versão 4 é conhecida pela sua grande estabilidade e por ter sido usada por muitas empresas durante o boom da internet.

A versão 5 teve grandes desenvolvimentos na forma como o sistema operativo trabalha em multi processamento e avanços a nível de storage.

A versão 6, continuou o trabalho que foi feito na versão 5, mas adicionou suporte para wireless e várias funcionalidades de segurança.

A versão 7, introduziu suporte para ZFS e Dtrace, tecnologias vindas do Solaris da Sun.
Outras melhorias foram tomadas a nível do scheduler e suporte para a arquitectura ARM.

A actual versão, veio melhorar opções de segurança, uma melhor integração do ZFS e avanços na stack de rede.

O que se espera da versão 9, esta descrito neste artigo.

Muitas empresas criaram produtos que têm origem no FreeBSD, como a Apple, Nokia, F5 Networks, Ironport, Juniper, Netapp, Blue Coat, etc.

No mundo open source, também foram criados vários derivados, como o FreeNAS, PC-BSD, M0n0wall, pfSense, entre outros.

Julga-se que existem 400 developers a trabalhar directamente para o projecto FreeBSD e que se retiramos OS X, é o BSD mais utilizado.

1 2 3Página seguinte
Etiquetas

Artigos Relacionados

Close
Close