AnálisesDestaque

Análise Headset Astro A50

ASTRO A50

Apresentação

A Astro Gaming é uma marca que sempre possuiu uma estreita ligação à vertente mais competitiva do gaming, presença assídua em torneios e competições, chegou até  a ser uma das marcas licenciadas e oficiais da MLG (Major League Gaming).

Foi exactamente nesse nicho que a Astro criou o seu nome e ganhou uma reputação bastante respeitável, não só pela qualidade e fiabilidade dos seus headsets  (sendo o mais conhecido o A40) mas especialmente graças a um periférico de nome Mixamp, um pequeno processador Dolby Surround 7.1 multiplataforma capaz de transformar virtualmente quaisquer auscultadores num sistema surround, permitindo ao mesmo tempo voice chat independente e outras tantas funcionalidades.

Apesar de toda a versatilidade, o Mixamp possui a desvantagem de ser um equipamento com fios. Para quem joga à secretária pouca diferença fará, mas se transferirmos o setup do Mixamp para a sala de estar onde normalmente estamos bastante afastados do ecrã, o caso muda de figura. É certo que o paradigma “PC na secretária, consola na sala de estar” se tem vindo a alterar ao longo dos tempos, mas ainda há muita gente que prefere o conforto do sofá da sala  para as suas sessões de gaming, todos sabemos a confusão que é termos cabos espalhados pelo chão da sala e o perigo que isso representa.

Foi com a versatilidade dos sistemas sem fios em mente que a Astro Gaming, apostou no lançamento de um cruzamento do seu mais reputado headset, o A40, com o famoso Mixamp, dando origem à versão A50. Um headset wireless que carrega consigo toda herança que tornou a Astro uma marca reputada no nicho do gaming competitivo, transportando-a para a nossa sala de estar.

Mas será este um equipamento capaz de fazer jus a essa mesma herança e justificar o preço pedido?

 

Caracteristicas técnicas

Auscultadores:

– Impedância: 48 Ohm

– Frequência de Resposta: 20 Hz – 20.000 Hz

– Nível de Pressão Sonora: 1 kHz – 118 dB

– Distorção Harmónica Total: < 1%

Microfone:

– Directividade: Uni-direccional

– Com tecnologia de cancelamento de ruído

Tecnologia Wireless:

– Frequência 5.8 Ghz

– KleerNet

Compatibilidade: Xbox, PS3, PC

 

Design:

É habitual os produtos associados ao gaming possuírem um design extravagante, cores garridas, leds coloridos capazes de iluminar uma pequena cidade, camuflagens, etc. Tudo serve para dar aquele pequeno toque de irreverência que aqui e ali ainda se vai associando à comunidade gamer.

É por isso bastante agradável verificar que a Astro decidiu não enveredar por esse caminho, decidindo apostar na continuidade do design dos A40 acrescentando aqui e ali pequenos pormenores diferenciadores como alguns apontamentos de cor.

03

design minimalista  da estrutura dos A50 é complementado pelo cruzamento do preto matte  do plástico rígido da bandolete e auscultadores com preto brilhante das partes de metal que unem ambas as partes. A isso junta-se o vermelho da cablagem visível que dá um toque diferenciador ao visual dos A50.

10

A inclusão de um suporte para colocar o headset e o Mixamp TX (transmissor/receptor) completa a apresentação dos A50, fazendo com que estes possam estar sempre devidamente arrumados e prontos a ser utilizados.

16

Se por um lado os A50 primam pela descrição e sobriedade, que lhes permitem disfarçar o tamanho algo exagerado mas quase inevitável num headset wireless,  por outro conseguem transmitir uma sensação de ameaça e perigo, como se dissessem “não somos um mero brinquedo”.

 

Funcionalidade

O grande trunfo dos A50 reside na sua enorme versatilidade sendo compatíveis com qualquer dispositivo que tenha uma porta USB e uma saída TOSlink (óptica), ou na ausência desta, uma vulgar saída jack 3.5mm. Isto é o mesmo que dizer que são compatíveis com PC, Playstation 3, Xbox 360 e,se desejarmos, até com a saída de auscultadores da nossa televisão, desde que por perto exista uma ligação USB para fornecer energia ao Mixamp TX.

13

O responsável por essa compatibilidade é exactamente o Mixamp TX, um pequeno dispositivo que repousa por baixo do simples mas funcional suporte dos A50 e que funciona como emissor/receptor do sinal wireless e hub de todas as ligações, nomeadamente: uma entrada USB que fornece energia ao dispositivo, uma entrada e uma saída óptica (passtrought), uma entrada auxiliar jack 3.5mm e ainda uma porta USB para carregar o headset.

14

No que ao Mixamp TX diz respeito há alguns pontos a ter em consideração: por exemplo a necessidade de, no caso de o irmos ligar a uma Playstation 3, a energia ter de ser fornecida por uma das portas USB das consola, já que será através dessa ligação que a consola irá reconhecer o dispositivo e permitir o funcionamento do microfone dos A50.

Se desejarmos ligar uma XBOX 360 mais antiga, não podemos esquecer que é necessário possuirmos o adaptor AV para ligarmos a saída óptica da consola ao Mixamp.

Interessante é também a possibilidade o próprio Mixamp ter uma saída óptica (passtrought) , permitindo assim a partilha do áudio da consola com um sistema de home cinema, por exemplo.

Se pretendermos ligar mais que um dispositivo ao Mixamp TX, o constante ligar e desligar de cabos acaba por se tornar  incómodo. A solução que encontrámos para resolver esta situação baseou-se na integração de um hub USB com ligação eléctrica e um splitter para o sinal óptico, o que permitiu alternar entre as fontes sonoras PS3 e XBOX sem qualquer tipo de dificuldade.

Passando para o headset propriamente dito, temos do lado esquerdo o microfone não amovível que alterna entre mute/unmute conforme está subido ou descido, a ligação USB que permite carregar o headset, e ainda a entrada para ligar o comando da XBOX ao headset (uma limitação que falaremos mais à frente). Do lado direito temos, para além do botão de power, a regulação de volume geral, um botão que permite seleccionar três modos de equalização: Media para filmes e música, Core para single player e Pro para multiplayer competitivo. Ainda na parte exterior do auscultador, podemos equilibrar os volumes do som do chat e jogo através do simples pressionar na parte da frente ou de trás da lateral do auscultador, consoante a necessidade.06

05

12

No geral, a utilização dos A50 acaba por ser bastante simples.  Após criarmos um pouco de memória muscular relativamente à posição dos botões, conseguimos ajustar os volumes à nossas necessidades quase inconscientemente.

A Astro anuncia entre 8 a 10 horas de duração de bateria, algo que se confirma. Infelizmente não é possível ao utilizador substituir a bateria, obrigando o mesmo em caso de necessidade a recorrer à assistência técnica da Astro. Impossível é também remover o microfone e coloca-lo do lado desejado do headset ou personalizar as tampas laterais como acontece nos A40. No entanto é compreensível, já que a integração das funcionalidades acima referidas deve ter roubado o espaço necessário para essa característica.

15

Outro aspecto menos positivo é a obrigatoriedade de na XBOX 360, ser necessário utilizar um cabo a ligar o gamepad ao headset. Tendo em conta que os A50 se apresentam como uma solução wireless acaba por ser um pormenor algo incómodo justificado pelo facto da Astro não possuir o licenciamento da tecnologia necessária para eliminar a necessidade do cabo com jack 2.5mm.

1 2Página seguinte
Etiquetas

Artigos Relacionados

Close