ArtigosDestaque

Ubuntu 4.10 – 10 anos depois

Desktop


(Video sem som)

14

É chegado então o momento de se entrar no modo gráfico e somos apresentados a um menu de login bastante bonito para Linux e em 2004.
O GNOME estava nesta altura na versão 2.8 e o kernel na versão 2.6.8.

15

O desktop era bastante leve, mesmo para os parâmetros daquela altura. Hoje em dia é algo quase impensável num desktop linux a não ser que se usem Windows managers muito leves.
O processador quase não tem utilização a nível de memória RAM, sem nada aberto, anda pelos 85 MB.
Isto também significa que poucos serviços são arrancados no boot e que se tem um desktop muito rápido.

16

Um dos problemas que já referi, é que na instalação escolhe-se teclado em Português, mas no GNOME, por defeito vem o teclado em Inglês. Tem que se ir às preferências de teclado retirar o inglês e colocar em português.
Uma falha destas hoje em dia seria quase inadmissível, mas na altura não era nada de muito grave e é uma alteração que se pode fazer sem se ir a linha de comandos.

17

O browser incluído é o Firefox na sua versão 1.0, que ainda hoje é um browser rápido e decente a nível de suporte de funcionalidades básicas. No entanto se tentarmos aceder ao Youtube, recebemos uma mensagem que ele já não é suportado, o que me parece normal para um browser tão antigo.

18

No entanto, em muitos sites, como o fórum da ZWAME ele ainda funciona perfeitamente, talvez com menos problemas que muitos browsers mais recentes.

19

Para verificar que funcionalidades de html5 ele suporta, visitei o site http://html5test.com e deparamo-nos com uma pontuação de 14 em 555. Isto é, bastante fraco para sites mais modernos.

20

Como editor de texto básico e leve temos o gedit 2.8.1 que não tem muito que se diga. É simples, é leve, mas não tem muitas funcionalidades avançadas. Serve para edição básica e não é assim tão diferente do gedit actual.

21a

Para utilitário de compressão e descompressão de ficheiros, temos o File Roller 2.8.2.
Suporta Bzip2 e Gzip, mas depois também suporta muitos formatos que não eram muito utilizados na altura nem actualmente, como Zoo, War e Ear. Formatos como Arj, Zip e Rar são suportados, mas não temos por exemplo o 7zip.

22

Temos alguns jogos incluídos com o GNOME e Ubuntu, mas não esperem um Steam. São jogos bastante básicos e baseados em muitos jogos tradicionais e/ou do mundo Windows.
No printscreen está o GNOME Mines, mais conhecido em Windows por Minesweeper. São na mesma jogos que causam algum vício.

23

Como visualizador de ficheiros de imagens temos o Eye of GNOME 2.8.1. É muito simples e tem apenas algumas funções de rodar e virar a imagem.

24

Para edição de imagem, o Ubuntu 4.10 vem de base com o Gimp 2.0.2. É um programa muito completo mas que não deixa de ser controverso, especialmente nesta altura em que o único interface era dividido por múltiplas janelas, que desagrada a muitas pessoas.

25

Como programa de conversação temos o gaim, um programa que ainda me deixa algumas saudades de tão bom que era. Ele é muito simples e com um interface muito limpo. Além disso era muito leve.
Hoje em dia temos cliente como o Skype em Windows, que só falta tirar cafés, mas que perde em muitas destas qualidades.

26

Um facto interessante é o Ubuntu vir com um cliente de Remote Desktop/Terminal Services para se poder ligar remotamente a máquinas Windows. Por acaso experimentei ligar a um Windows 2008 e deu o erro que aparece na imagem.

27

Por defeito também é incluído um cliente de IRC, que ainda hoje funciona. O X-Chat 2.0.8.

28

Como leitor multimédia, vem incluído o Totem, um programa que ainda hoje acho terrível a nível de interface. Numa instalação base e sem alterações, não se conseguiam ler ficheiros mp3 por ser um formato proprietário e patenteado.

29

Mesmo tentando ouvir mp3 no programa Music Player, não era possível sem alterações. Para um utilizador principiante isto pode ser um ponto de frustração, mas em 2004 era normal isto acontecer e ainda hoje acontece em muitas distribuições de Linux.

30

Incluídos vêm também o Sound Recorder, um programa muito simples e básico para gravar som no formato Ogg e o Sound Juicer para colocar tags em ficheiros de som.

Página anterior 1 2 3Página seguinte
Etiquetas

Artigos Relacionados

Back to top button
Close
Close