AnálisesDestaque

Análise ao rato Mionix Naos 7000

Introdução

A Mionix é uma marca sueca de periféricos gaming, especialmente conhecida devido à sua line-up de periféricos high-end, os quais invariavelmente dão mostras de real qualidade de construção e conforto. Não obstante, os seus produtos estão um tanto ou quanto distanciados do alcance do consumidor português, o que significa, que tais produtos têm que ser adquiridos por via de lojas estrangeiras (ex: Amazon).

Hoje iremos analisar o rato Mionix Naos 7000, o modelo palm grip da marca que divide igual atenção entre ergonomia, qualidade de construção e qualidade de tracking.

Especificações

32bit ARM processor 32mhz

Ergonomic, right-handed gaming mouse

Soft touch rubber coating

7 fully programmable buttons

3 steps in-game DPI adjustment

2 integrated LEDs in 2 colour zones

Up to 16.8 Million LED colour options

Color shift, Solid, Blinking, Pulsating and Breathing effects

128 kb built-in memory

Large PTFE mouse feet

Gold Plated, Full speed USB 2.0 connection with Plug and Play

Cable 2m long braided cable

Embalagem e Conteúdo

IMG_8643 IMG_8645 IMG_8648 IMG_8650 IMG_8652 IMG_8653

Em Detalhe

O Mionix Naos 7000 traz consigo uma shell já aprovada pela comunidade em edições anteriores de ratos da marca, destacando-se sobretudo pelos pormenorizados traços ergonómicos e pelas dimensões que tanto convidam a palm grip.

Centrando o nosso foco nos materiais, vemos que este modelo continua em linha com o que tem vindo a ser apresentado pela marca. Toda a superfície que possa entrar em contacto com a mão leva um uniforme e suave coating de borracha. Por outro lado, ao contrário do modelo mais recente da marca, este não chega com a útil área de borracha perfurada na lateral esquerda, algo que seria de valor devido à forte ação de desgaste exercida pelo polegar.

Os botões acessórios, esses sim são de plástico simples, mas na mesma suaves e agradáveis ao toque; a scroll wheel é de borracha simples.

No que toca à forma do rato propriamente dita, não podemos deixar de relembrar que o seu desenho visa maximizar o conforto da mão do utilizador, incorporando linhas suaves, capazes de seccionar a superfície do rato em diferentes áreas para cada dedo, com especial destaque para a lateral direita que se estende para acomodar ambos os dedos anelar e mindinho.

Parecendo que não, o rato não é tão grande quanto isso, o que leva a que caso um indivíduo de mão de tamanho médio tente agarrar no rato com a totalidade da palma, veja o dedo do meio e indicador a fugir quase 1 cm da shell. Assim, para conservar a totalidade da mão em cima do rato, é normal ter cerca de 2 a 3 cm da zona da mão que estende até ao pulso, a assentar na mesa. Na mesma linha, temos o descanso para os dedos na lateral direita, o qual não consegue acomodar a totalidade dos mesmos, sendo que escapa 0.5 cm de cada um. Quanto à lateral esquerda, cama de descanso do polegar, esta apresenta a tradicional depressão em forma de vale, bastante confortável e funcional, permitindo um mais facilitado acesso aos botões adicionais, sem risco de clique acidental.

IMG_8662

Entrando no campo dos botões e começando pelo M1 e M2, a Mionix não poderia deixar de equipar um rato seu com switches Omron preparados para um vida média de cerca de 20 milhões de cliques, nomeadamente os Omron D2FC-F-7N, trazendo um feedback muito próximo dos ratos da Razer, ou seja, muitíssimo leve e crisp.

IMG_8665

O scroll permanece igual, bem pautado e para o pesado, contudo, com a utilização de outros ratos da marca, é fácil prever que esta venha a ficar bem mais fluído e leve consoante o tempo de utilização. Diretamente atrás, o par de botões para alteração de DPI vem equipado com white Pi switches, com um clique nem muito leve nem muito pesado e com resposta sonora assim como os dois botões da lateral esquerda, mas estes com switches TTC vermelhos muito mais leves.

Todos os botões mencionados acarretam a assinatura de elevada qualidade de construção da Mionix, com folga inexistente e com o agradável feedback atrás mencionado.

Como é habitual nos ratos da marca sueca, também este é iluminado na scroll wheel e no logo presente nas costas do mesmo. O brilho é uniforme em ambas as zonas, podendo a cor e o modo de iluminação ser ajustado no software da marca.

Para um rato destas dimensões e formato, de facto, é bastante agradável notar que o mesmo, sem cabo, apenas pesa 103 gramas, assumindo-se assim como um bem leve mouse para palm grip.

Por último, restará mencionar que a Mionix utilizou o mesmo formato de skates presente nos restantes ratos da marca, assim como o tradicional cabo USB sleevado.

Uso e Desempenho

Em situação normal de uso quotidiano em casa/escritório, de facto, este rato marca-se pelo conforto e, apesar da nossa crítica minuciona, o mesmo adapta-se bastante bem à mão da maioria dos utilizadores. Neste caso, a precisão pouco importa, contudo, com este sensor, nenhum problema surgiria neste campo, mesmo para profissionais da área da edição fotográfica.

Com utilização mais agressiva, nomeadamente em jogo (CS:GO), o rato comporta-se muito bem. É um rato mais apontado para palm grip, mas como sabemos, em algumas situações mais tensas ou talvez mais tediosas podemos fugir para um outro grip e, como tal, o mesmo costuma acontecer comigo, e posso desde já avançar que o rato também se comporta igualmente bem segundo esse perfil. Graças ao seu reduzido peso, é muito fácil conduzir o rato com claw ou fingertip, e, parecendo que não, a shape do mesmo assenta muito bem sob esses grips.

Em todo o caso, o tracking do sensor foi impecável e o mesmo seria de esperar quando falamos de um ADNS-3310. A implementação da Mionix nunca sofreu de queixas por parte dos utilizadores e, segundo a nossa experiência, tal facto é justificado. Para quem não está muito dentro do assunto, este sensor é dado como o 2º melhor do mercado, muito equilibrado, com níveis quase inexistentes de aceleração e cada vez mais disseminado por diferentes produtos de variadas marcas.

Felizmente, a equipa do Zwame já teve a oportunidade de avaliar/utilizar tanto o Mionix Avior 7000 como o Castor, equipamentos de construção semelhante ao Naos 7000, e podemos avançar que o único sinal de desgaste capaz de surgir neste equipamento será a perda do coating de borracha na zona do polegar na lateral esquerda ao fim de cerca de um ano e, como em todos os ratos com switches Omron e shell bastante flexível, o aparecimento do double click no botão esquerdo, por volta dos 1.5/2 anos de utilização intensiva. Ainda quanto a este tema, mas sem a mesma conotação negativa, temos o incremento da fluidez e leveza da scroll wheel com o passar do tempo.

Considerações Finais

O Naos 7000 assume-se como mais uma excelente iteração da marca sueca pelo mercado dos ratos high-end, especialmente quando olhamos para um setor com más escolhas espalhadas por todo o espetro.

Mais uma vez comprovamos a elevada qualidade de construção da Mionix, talvez apenas ultrapassada pela Zowie, mas não por nenhuma outra marca que nos traga ratos com Omron switches e coating de borracha (pontos a a ter atenção com o teste do tempo).

Com a qualidade de acabamentos, excelente escolha de sensor e shell de formato em falta no mercado, por um preço a rondar os 60€, não vemos como não recomendar o Mionix Naos 7000.

recomendado_zwame

A ZWAME agradece à Mionix a disponibilidade do equipamento para análise.

Etiquetas

Artigos Relacionados

Back to top button
Close
Close