Glossário Fotografia

por a 15 Novembro 2010 em Artigos

Este é o contributo de muitos membros da ZWAME para clarificar alguns dos termos usados em fotografia. Caso tenham alguma questão ou pretendam contribuir para melhorar este glossário não deixem de colocar no Fórum.

Abertura (aperture) – Este assunto foi discutido no ZWAME Foto Nº3

É o diâmetro da abertura do diafragma interno de uma lente. É a abertura da lente que controla a quantidade de luz que atravessa a lente por unidade de tempo, ou seja, controla o fluxo de luz, tal como uma torneira controla o fluxo de água. Por esta mesma razão, lentes com grandes aberturas, são também chamadas de lentes rápidas. A abertura é sempre regulável, variando entre um máximo e um mínimo característicos de cada lente, excepto no caso de lentes catadióptricas em que a abertura é fixa.

O valor da abertura normalmente é expresso pelo “f-stop“. O f-stop é o rácio entre o diâmetro da abertura do diafragma e a distância focal da lente. Por exemplo, uma lente com uma distância focal de 50mm, cuja abertura do diafragma seja 50mm, tem uma abertura de f/1.0 (distância focal a dividir por 1). Noutro exemplo, uma lente com uma distância focal de 200mm, cuja abertura do diafragma seja 50mm, tem uma abertura de f/4 (distância focal a dividir por 4). É utilizado o f-stop porque existe uma correspondência entre lentes, independentemente da distância focal e diâmetro da abertura, ao nível da exposição obtida. Ou seja, independentemente do valor em milímetros da abertura, se usarmos várias lentes com o mesmo f-stop, vamos obter exposições idênticas, ou seja, o fluxo de luz é igual para f-stops iguais.

A escala de f-stops inicialmente pode gerar muita confusão por dois motivos. O primeiro é o facto de ser uma escala invertida, ou seja, como o valor é sempre o divisor, quanto mais baixo é o f-stop maior é a abertura. O outro motivo é por não não crescer de forma linear:

1.0 > 1.4 > 2 > 2.8 > 4 > 5.6 > 8 > 11 > 16 > 22 > 32 > 44 > 64 > …

Uma forma fácil de aprender a escala é memorizar que são múltiplos de 1 e de 1.4 alternados. Separando as escalas (a do “1″ e a do “1.4″), o valor seguinte é sempre o dobro do anterior:

Escala do “1″ – 1.0 > 2 > 4 > 8 > 16 > 32 > 64 > …

Escala do “1.4″ – 1.4 > 2.8 > 5.6 > 11 > 22 > 44 > …

Em casos raros são criadas lentes tão luminosas que atingem os limites desta escala, algumas conseguem até exceder:

- Leica Noctilux-M 50mm F0.95 ASPH é actualmente a lente mais rápida do mercado e a mais rápida da história com um elemento asférico a ser produzida em massa.

- Canon EF 50mm F1.0 considerada uma lente lendária, foi a lente mais rápida alguma vez produzida para SLR e com autofocus.

- Carl Zeiss 50mm F0.7 foi produzida especificamente para a NASA e foi utilizada uma vez em cinema por Stanley Kubrick, no filme Barry Lyndon, para filmar cenas à luz das velas.

- Tokyo Kogaku Toko e Simlar 50mm F0.7 apenas foram criadas três, duas das quais foram usadas numa expedição ao polo sul.

Lentes com estas aberturas são usadas para fotografar em condições de luz muito fraca, em cinema/TV e em aplicações científicas ou militares.

AC – Abrerrações Cromáticas

BlackMagic Cinema Camera – Análises: EOSHDPhilip Bloom.

Bokeh- é um vocábulo japonés que significa desfoque. Para se conseguir fotos com bokeh, deve ser usado lentes com uma abertura alta. Por exemplo, f/1.2 – f/1.4 – f/1.8 – f/2.0.

Câmara – Há diferentes tipos de máquinas. As principais diferenças são explicadas no ZWAME Foto #2.

Podcast sobre Corpos DSLR.

Canon 40mm f/2.8 STM Pancake – Análises: Dan Carr, photofocuslensrentals.

Canon EF 24mm f/1.4L II - Análises: canonrumors.

Canon EF 24-70 f/2.8L IIcanonrumors, DXO.

Canon EF 28mm f/1.8 USM – Análises: ePHOTOzine.

Canon EF 35mm f/2 USM - Análises: ePHOTOzine.

Canon EF 50mm f/1.2L – Análises: canonrumors.

Canon EF 70-200mm f/2.8L IS II USMFórum. Análises: dpreview, ePhotozine, pdnthe-digital-picture, SLRGear.

Canon EF 85mm f/1.2L II – Análises: canonrumors.

Canon EF-S 18-135 f/3.5-5.6 IS STM – Análises: ephotozine.

Canon EOS 1DC - Análise: Philip Bloom.

Canon EOS-1D XPortal. Fórum. Press Release. Análises: engadget.

Canon EOS 5D MK III - PortalFórum. Análises: Scott Bourne, dPs, EOSHDWEXblog.

Canon EOS 6DFórum. Análises: dpreview, Michael Stringer, pdnonline, photofocus, The Digital Picture.

Canon EOS 7DFórum, Manual, Análises: DCRPdpreview, Engadget, Imaging ResourceKen RockwellLuminous Landscapes

Canon EOS 60DFórum. Análises: michael stringerdPs, Gizmodo.

Canon EOS 600DFórum. Análises: dpreview

Canon EOS 1100DFórum. Análises: dpreview.

Canon EOS C300PortalFórum. Análise: ninofilm.

Canon EOS M – Análise: dPs.

Canon IXUS 1000 HS – Análise: Photography Blog

Canon PowerShot G12Fórum

Canon PowerShot G15 – Análises: dPs.

Canon PowerShot S110 - Análise: ePHOTOzine.

Canon PowerShot SX30 ISTópico de discussão no Fórum Análises: Camera LabsDigital Photography School, Photography Blog.

Canon PowerShot SX50 HS – Análises: dPs.

Canon PowerShot SX160 IS – Análises: cnet.

Canon PowerShot SX500 IS – Análises: dPs.

Canon S110 – Análises: Gizmodo.

Canon Speedlite 600EX-RT – Análise: canonrumors.

CRI – Color Rendering Index.

Deph of Field – Ver Profundidade de Campo.

Diafragma – parte física da lente que determina o tamanho da abertura.

Distância FocalA distância focal (focal length) é a distância entre um determinado ponto nodal da lente e o plano focal em que se encontra o sensor/filme. Esta distância vai determinar o ângulo de visão, que consequentemente determina a ampliação da imagem.

Focais baixas têm maior ângulo de visão e quanto maior for o ângulo de visão, maior será a área captada na imagem e mais pequenas parecerão as coisas. Focais elevadas têm menor ângulo de visão e quanto menor for o ângulo de visão, menor será a área captada na imagem e maiores parecerão as coisas.

Para comparar distâncias focais (e perceber melhor o seu funcionamento), podem consultar o Comparador de Distâncias Focais da Tamron. Podem também reproduzir este efeito, com uma folha de papel furada, espreitando através do furo e variando a distância entre a folha e o olho.

Esta distância é medida em milímetros e há essencialmente dois grupos de lentes: Prime e Zoom. As “Primes” são lentes que têm apenas uma distância focal fixa, enquanto as “Zoom” cobrem uma gama de distâncias focais. O factor de zoom é a relação entre a focal mais curta e a focal mais longa de uma determinada lente (ex: 28-280mm = 10x zoom).

DOF – siglas em inglês de Deph of Field, ou seja profundidade de campo.

EOS – Electro-optical system.

Estabilização ÓpticaA estabilização é um sistema que corrige movimentos da lente durante a exposição. Este sistema permite que se fotografe a velocidades mais baixas que o habitual, evitando que as fotos fiquem tremidas com tanta facilidade. É constituído por um elemento óptico móvel que desvia a luz, de forma a que esta incida sempre sobre o mesmo local do sensor.

Este sistema pode ter vários nomes, consoante o fabricante da lente:

Canon – IS (Image Stabilizer)

IS Híbrido –  A tecnologia de IS híbrido compensa o trepidar da câmara, mudanças de ângulo (rotacional) e as deslocação (linear), os quais podem acontecer em macro e noutro tipo de fotografia de curta distância. Incorporando um sensor de velocidade angular que detecta a extensão do trepidar da câmara, tal como os que acontecem no mecanismo standard de estabilização de imagens, o IS híbrido possui um sensor com aceleração adicional que determina a quantidade de mudanças de trepidação da câmara. Utilizando um moderno algoritmo que combina dois tipos de sensores, movimenta os elementos da objectiva para compensar os dois tipos de movimentos simultâneos. O IS híbrido melhora substancialmente o efeito de estabilização durante uma fotografia macro, o qual é difícil de corrigir com as tecnologias convencionais de estabilização de imagem.

Nikon – VR (Vibration Reduction)

Sigma – OS (Optical Stabilizer)

Tamron – VC (Vibration Control)

Samsung – OPS (Optical Picture Stabilisation)

Panasonic – MEGA O.I.S. (MEGA Optical Image Stabilization)

Há outros fabricantes com estabilização, mas optam por estabilizar através do sensor da máquina.

EXIF- Exchangeable Image File Format. É um standard de especificações para arquivos criados por câmaras digitais. Quando uma Câmara digital captura uma fotografia, não só transfere a imagem, como também uma serie de informação sobre a mesma.

ExposiçãoOuvir Podcast

FlashPodcast sobre esta temática.

Canon SpeedlitesParte 1, Parte 2, Parte 3. Flash Power Calculator, Infobank.

Fluorite – Se segurar num prisma de frente para luz solar, um espectro como o arco-íris aparece. Isto deve-se ao facto de diferentes ondas de luz refractária, ou seja, diferentes quantidades dentro do prisma. O mesmo fenómeno ocorre, mas num grau menor numa objectiva fotográfica, o qual se chama aberração cromática. Nota-se mais nas fotografias quando a cor faz franja nas arestas dos objectos. Fluorite, o qual possui uma baixa dispersão de luz, é capaz de combater estas aberrações residuais que o vidro normal não consegue eliminar mantendo as cores correctas e aumentando o contraste.

FocagemActualmente a maioria das lentes são produzidas para sistemas com focagem automática. A focagem pode ser feita movendo vários elementos ópticos ou mesmo todos. Há lentes em que o elemento frontal roda (estas dificultam o uso de filtros polarizadores), lentes que variam o seu comprimento e lentes com sistemas de focagem internos. Devido ao movimento dos elementos ópticos, a maioria das lentes varia a sua distância focal durante a focagem, mas normalmente é uma variação pouco significativa e é mais comum em lentes zoom ou lentes que movam todos os elementos ópticos.

Dependendo do fabricante, do sistema a que se destina e o tipo de focagem, a lente poderá ter motor interno. Toda as lentes para o sistema da Canon têm motor de focagem interno. Para o sistema da Nikon só as lentes AF-S têm motor interno e nos restantes sistemas apenas há motor interno em caso de focagem ultrasónica.

A focagem ultrasónica é um tipo de focagem bastante rápida e silenciosa, normalmente disponível em lentes de topo. A sigla associada a este tipo de focagem varia consoante o fabricante da lente:

Canon – USM (UltraSonic Motor)

Nikon – SWM (Silent Wave Motor)

Sony/Minolta – SSM (SuperSonic Motor)

Pentax – SDM (Supersonic Drive Motor)

Olympus – SWD (Supersonic Wave Drive)

Panasonic – XSM (Extra Silent Motor)

Sigma – HSM (HyperSonic Motor)

Algumas lentes permitem FTM (full time manual), ou seja, é possível operar a focagem manualmente, mesmo sem desligar o autofocus. Há também lentes com sistemas de embraiagem, em que basta deslocar o anel de focagem para se poder focar manualmente.

Focagem Manual – Apesar de na maior parte das vezes a focagem automática fazer um bom trabaho, a focagem manual tem vantagens e é insubstituível em particular quando queremos focar algo atrás de um objecto. A focagem automática vai falhar neste contexto porque vai focar o primeiro objecto. Um bom exemplo é quando queremos focar um pássaro dentro de uma gaiola por exemplo.

Podcast sobre tipos de focagem