AnálisesDestaque

Toshiba RC100

O princípio do fim das boot drives SATA.

Benchmarks

Sendo este um SSD NVMe de características particulares, que pretende ser mais substituto das tradicionais drives SATA do que propriamente concorrer com as unidades NVMe de maior performance, comparamo-lo com um conjunto de drives de características bastante diferentes, entre NVMe de alta performance, SATA MLC e SATA TLC, de modo a tentar aferir exactamente onde é que ele se situa.
O sistema usado no teste foi o seguinte:

CPU Ryzen 7 1700
Motherboard Gigabyte Aorus X470 Gaming 7
RAM G.Skill Flare X 2x8GB  3200MHz CL14
Drive de sistema Toshiba RD400
Cooling AMD Wraith Spire RGB
Fonte de alimentação Corsair CS750M
Caixa Benchtable

AIDA64

O AIDA deu-nos resultados de leitura consideravelmente superiores a drives SATA, ficando, no entanto, a bastante distância das drives PCIe x4, como seria de esperar.

CrystalDiskMark

Aqui a tendência mantêm-se, com os resultados de leitura e escrita sequencial a serem muito superiores às drives SATA.
Os testes de acesso aleatório revelam-se mais complicados mas, crucialmente, esta drive consegue sempre pelo menos igualar os resultados das drives SATA e, na maior parte dos casos, ultrapassá-los.

AS-SSD

O AS-SSD deu-nos resultados em linha com os obtidos no CrystalDiskMark, confirmando as tendências aí observadas.

Anvil

No Anvil, mais uma vez, observamos performance “no meio”, para esta drive, acima de SATA, abaixo de PCIe x4.

ATTO

No ATTO observamos resultados um pouco estranhos. O RC100 começou por denotar alguma dificuldade em lidar com blocos de dimensões muito reduzidas, particularmente em escrita. A partir de blocos de 32KB a drive ultrapassou as suas dificuldades inicias e prosseguiu a ultrapassar confortavelmente os resultados das drives SATA. Mas, depois de picos de 1,3 e 1,0 GB/s, para leitura e escrita, as taxas de transferência diminuíram um pouco para os blocos maiores, acabando a estabilizar nos 850 e 750MB/s. Estes são valores ainda bem acima das drives SATA, mas este retrocesso de performance nos blocos maiores é algo que nunca tinhamos observado em nenhuma drive.

PCMark 7

O PCMark avalia o desempenho das drives simulando uma série de tarefas quotidianas que recorrem às unidades de armazenamento.
Aqui, o RC100 conseguiu resultados de nível similar às restantes drives NVMe, apesar de contar com apenas metade da largura de banda destas. Um grande ponto a seu favor.

PCMark 8

Uma versão mais recente e completa do teste anterior. Mais uma vez o RC100 ombreia com o irmão RD400 e o Corsair MP500, superiorizando-se de forma clara às drives SATA.

Escrita sequencial contínua

Este é um teste que costumamos fazer em todas as drives que fazem uso de flash TLC, de modo a avaliar o tamanho e eficácia da cache SLC normalmente usada neste tipo de drives para colmatar a fraca performance em escrita da memória TLC.

Na transferência de um ficheiro de cerca de 20GB entre o RD400 e o RC100, este ultimo não deu qualquer sinal de abrandamento durante a escrita, mantendo uma taxa de transferência de ~760MB/s durante toda a operação.
Como comparação, deixamos o mesmo teste nos Toshiba TR150 e TR200:
Nestas drives, a passagem da cache para a escrita directa em TLC é bastante notória.

Não sabemos se a Toshiba dotou este RC100 de uma cache SLC particularmente grande ou se outros mecanismos de gestão entram em acção, mas o resultado é, indubitavelmente, bastante bom.

Página anterior 1 2 3 4 5Página seguinte
Etiquetas

Artigos Relacionados

Close
Close