AnálisesDestaque

Análise ao portátil Inphtech u731it

Notas finais e conclusão

O portátil que recebemos é uma unidade de demonstração e para testes, disponibilizada para avaliação de clientes finais e como tal já passou por muitas pessoas pelo que não podemos julgar corretamente a qualidade de construção. A união deficiente da tampa inferior não poderia ficar assim sem ter sido por ser aberta anteriormente, como nós também fizemos, mas já recebemos neste estado.
O chassis é de alumínio mas está umas gerações atrás em relação aos equipamentos da Apple nos pormenores que destacamos.

Dito isto, os aspetos negativos acabam aqui, temos sempre em linha de conta o preço para adequar as expectativas e estamos a falar de propostas diferentes.
O preço pedido de 790,95€ por este equipamento é bom atendendo, como referimos, que é difícil encontrar um processador mais equilibrado em termos de consumo e performance.

Ter apenas uma slot para memória é uma limitação, mas a vantagem de poderem colocar no lugar do disco um SSD ou adicionar um SSD M.2 compensa largamente.

É bom ver um ecrã FullHD, que será óptimo para ver vídeo, mas a elevada resolução em tão pouco espaço vai fazer com que muitos tenham necessidade de aumentar o tamanho da letra no Windows. Não é um defeito em si, de facto o espaço físico do ecrã é reduzido para tanta resolução quando estamos a lidar com texto. Podem também reduzir a resolução, mas isso são questões que cada um pode adequar a seu gosto; o que não seria possível era aumentar a resolução se o monitor não suportasse e aqui isso não é problema.

Não resistimos a pensar em alterações ao portátil. A primeira, caso a opção fosse manter o processador, e em todos os casos, basicamente seria de colocar um SSD. O disco mecânico escolhido é excelente, é o melhor disponível, eventualmente empatado com o Western Digital Black, mas um SSD para os programas e sistema operativo traria enormes vantagens em termos de velocidade.
Por outro lado, referir que já têm disponível a 6ª geração de processadores da Intel que já testamos na versão desktop mas que em portátil é de esperar ganhos na autonomia. E tanto o Intel Core i5 6200U como o Intel Core i7 6500U são excelentes escolhas e mesmo a opção mais barata continua a ser uma escolha acertada. Perdem apenas velocidade de relógio, mantêm o consumo, o número de cores e o Hyper-Threading. Para os menos versados chamamos à atenção que não é possível trocar à posteriori o processador porque o socket é diferente. Tenham em atenção a escolha quando estiverem a configurar o portátil.

Parece-nos uma alternativa a considerar se estiverem à procura de um novo ultrabook.

 

A ZWAME agradece à Inphtech a disponibilidade deste equipamento para análise.

Página anterior 1 2 3 4 5 6
Etiquetas

Artigos Relacionados

Back to top button
Close
Close