AnálisesDestaque

CRYORIG H7 Quad Lumi

Na última análise demos conta da entrada da Cryorig no mundo das soluções de arrefecimento liquido AIO. Hoje voltamos às suas origens, com um produto do segmento que lhes deu o nome: um tradicional dissipador a ar.
Mais concretamente, a reinvenção do Cryorig H7, um modelo que tem sido um dos grandes cavalos de batalha da marca. Nesta nova versão, a Cryorig manteve o design básico de grande compatibilidade do H7 ao qual acrescentou um heatpipe extra, para melhor performance, e integrou um controlador de iluminação RGB de dois canais da NZXT, para criar o que afirma ser “o primeiro cooler LED RGB do mundo”.

Para ver o que vale o primeiro cooler LED RGB do mundo na nossa mesa de testes, é só continuar a ler!

Especificações:

Dissipador
Dimensões (com ventoinha): P98 x L123 x A145 mm
Peso (com ventoinha): 713 g
Peso (sem ventoinha): 585 g
Heat pipes: 4x 6 mm
Nº de alhetas: 40
Dimensões das alhetas: Espessura: 0,4 mm ; Espaçamento: 2,2 mm
Base: Cobre C1100, revestido a níquel
Compatibilidade com RAM: Ilimitada
Max. TDP: 160 W
Ventoinha
Modelo QF120 LED
Dimensões 120 x 120 x 25,4 mm ;  128 g
Velocidade 330 ~ 1600 RPM
Nível sonoro 10 ~ 25 dBA
Fluxo de ar 49 CFM
Pressão de ar 1,65 mmH2O
Alimentação 12V / 0,25A
Compatibilidade
Intel LGA 2066, LGA 2011(-3), LGA115x
AMD AM4, AM3(+), AM2(+), FM1, FM2

 

Unboxing

A face frontal é dominada por uma imagem do cooler contido no interior.Alguns pontos em destaque. Na traseira temos as especificações, desenhos cotados do cooler e a lista de plataformas compatíveis. Definitivamente, um membro da família H7. Tal como já tínhamos observado no A40, a Cryorig  começa por lembrar os utilizadores de que devem registar o seu produto para usufruírem de 3 anos de garantia. Uma prática digna de louvor.
A arrumação interior é bastante compacta, com duas pequenas caixas de acessórios a servirem também de protecção às laterais e o manual a servir de protecção à traseira.  As caixas com os acessórios. Numa encontramos todos os parafusos necessários à montagem do cooler, um par de clips de retenção de ventoinha extra, que podem servir para acrescentar uma segunda ventoinha, e um tubo de pasta térmica.  Na outra encontramos um backplate e os suportes para a montagem do cooler.  O manual vem dentro de uma saqueta.

O português não é contemplado nas instruções, mas felizmente o manual é bem ilustrado.
Dentro da saqueta encontramos ainda um cartão com os códigos necessários ao registo do produto com a marca.

O cooler vem com a ventoinha pré-instalada.De lado pode-se observar o arranjo assimétrico dos heatpipes que possibilita que todo o conjunto dissipador + ventoinha fique centrado no socket, aumentando a compatibilidade com os componentes que o rodeiam, particularmente, com a memória RAM.
No fundo é possível observar alguma deformação nas alhetas. Estas pareceram-nos um pouco mais maleáveis do que é comum, o que as torna um pouco mais susceptíveis a danos deste género. Felizmente, essa mesma maleabilidade permite levá-las à posição devida com relativa facilidade.
A traseira. Quem quiser contar, verificará que as alhetas são 40.
O topo é munido de uma cobertura plástica que, neste caso, também aloja parte da iluminação LED RGB.  A iluminação é alimentada e controlada por uma ficha USB 2.0 concebida para se ligar a um dos headers internos das motherboards.
A base de cobre do cooler e a sua protecção, com o aviso explícito de que deve ser retirada antes de montar.
Por trás é possível observar a segunda metade do sistema de iluminação RGB. Já sem a ventoinha, a frente do cooler exibe o padrão exagonal característico da Cryorig.
De novo, é possível observar alguma deformação das alhetas nos cantos inferiores.
A ventoinha é baseada no modelo QF120 Balance da marca, mas com a adição de iluminação LED branca. É um modelo de 120mm com uma gama de velocidade de rotação que vai das 330 às 1600 RPM.
A moldura integra amortecedores de borracha em todos os cantos.

Montagem

O primeiro passo na instalação deste cooler é a preparação do backplate. Esta é uma peça universal que serve para Intel e AMD, substituindo o backplate de origem, neste último caso.   Já pronto, com os pernos fixos nas posições destinadas à plataforma AM4.  Aqui já devidamente orientado e colocado na motherboard.
De seguida coloca-se o suporte do cooler e fixa-se ao backplate. A tarefa concluída. O cooler será agora apertado directamente a este suporte, numa de duas posições possíveis, horizontal ou vertical.
Contudo, esse último passo não é totalmente pacífico, pois como já se pode observar, o suporte “cai” não ficando fixo na sua posição final.
Torna-se necessário empurrar e segurar o backplate por trás da motherbord para elevar o suporte para a sua posição. De outra maneira os parafusos do cooler não fazem contacto com o suporte.
Idealmente, este cooler deverá ser montado numa motherboard “solta” e apoiada numa superfície plana, o que facilita bastante a tarefa.
Já adicionar este cooler a um sistema previamente instalado num chassis (ou benchtable) revela-se uma tarefa melhor executada a 3 mãos, uma para segurar o backplate, outra para segurar o coler e uma terceira para apertar os parafusos. Ora, naturalmente, isto pode ser um problema para o humano comum.
A tarefa, contudo, não é impossível. Depois de “apontados”, os parafusos apertam-se com facilidade.
Não podemos, mesmo assim, deixar de tirar pontos à Cryorig neste aspecto, não só porque a solução é bastante simples, mas especialmente porque está presente na versão anterior deste cooler, como se pode ver na imagem que se segue.  O H7 original inclui simples espaçadores plásticos que quando colocados entre o suporte e a motherboard o fixam no lugar. Esta imagem pode ser encontrada no próprio site do produto.
A decisão da Cryorig de não incluir espaçadores semelhantes na nova versão é totalmente incompreensível e transforma o que poderia ser uma tarefa extraordinariamente simples num escusado acto de malabarismo.
Um ponto que também pode causar alguma dificuldade passa pela disponibilidade de uma chave suficientemente comprida para apertar o parafuso traseiro, apesar do recorte generoso nessa zona do dissipador. Esta questão é um pouco mitigada pelo formato sextavado que oferece uma alternativa de aperto, particularmente para a fase final, com uma dessas chaves ou, no limite, com um alicate.
Para compensar um pouco as dificuldades e trabalho da montagem, o cabo USB da iluminação tem um comprimento muito generoso, permitido alcançar sem dificuldade praticamente qualquer ponto de qualquer motherboard. No nosso caso optamos por passa-lo simplesmente por trás da motherboard, no que acreditamos que venha a ser a opção mais comum de “cable management” entre os utilizadores deste cooler. A ficha chegou a uma das portas USB do fundo da motherboard ainda com bastante folga.   As várias perspectivas do dissipador montado no sistema.
E já com a ventoinha no lugar.  A promessa de compatibilidade ilimitada com a memória RAM é perfeitamente cumprida. O cooler já a trabalhar. E a iluminar!  O sistema de iluminação é capaz de uma intensidade considerável.Com o maior contributo a ser dado pela tira de LEDs instalada na base. A ventoinha apenas possui uma ficha de 4 pinos, pelo que a iluminação da ventoinha é permanente e exclusivamente branca. Felizmente, a neutralidade da luz branca praticamente não interfere com a iluminação colorida produzida pelo cooler, e até a torna parcialmente transparente a ela.
Quem fizer muita questão de ter totalmente sincronizada com o resto do cooler, tem disponíveis no mercado diversos modelos de ventoinhas RGB que pode usar para substituir a de origem.

Software

Para controlar a iluminação integrada, o Cryorig H7 Quad Lumi faz uso do software CAM, da NZXT, que se encontra disponível de forma gratuita na sua página da  internet.

Na sua base, este é um software de monitorização de hardware, mas que integra uma grande quantidade de funcionalidades extra, como controlos de overclock do GPU, overlays com informação de sistema e contador de frames por segundo para jogos, sincronização de dados com a cloud, etc.

Para este artigo interessa-nos a secção de controlo de sistemas de iluminação RGB. Aqui é possível controlar todos os dispositivos instalados no sistema que possuam um controlador de iluminação da NZXT, como é o caso no nosso H7 Quad Lumi.

O software permite sincronizar todos os canais presentes no sistema ou configurá-los individualmente.
No nosso caso apenas temos presentes os dois canais integrados no cooler. A implementação de dois canais separados permite a configuração independente da iluminação do topo e da base do cooler.

As possibilidades de configuração estão distribuídas por 3 secções. Na primeira é possível escolher uma cor fixa ou configurar e aplicar um dos efeitos dinâmicos disponíveis.

Na segunda secção, é possível associar a cor da iluminação a temperaturas do sistema ou à contagem de FPS.

Por fim, é também possível associar a iluminação a parâmetros do áudio.

O software revelou-se bastante fácil de utilizar, tudo funcionou sem problemas e parece-nos justo dizer que as possibilidades de configuração oferecidas deverão satisfazer a grande maioria dos utilizadores.

RGB! Um pequeno vídeo do sistema em acção está disponível no nosso Instagram.

Temperaturas

 

CPU AMD Ryzen 7 1700 @stock
AMD Ryzen 7 1700 @3,8GHz
Motherboard MSI B350 Tomahawk
MSI X370 SLI Plus
RAM Corsair Dominator Platinum 2x8GB DDR4 3200MHz @2133MHz CL15
Corsair Vengeance LPX 2x8GB DDR4 2666MHz @2133MHz CL15
G.Skill Trident Z RGB 2x8GB DDR4 3600MHz @2133MHz CL15
Placa gráfica MSI GTX960 Gaming 2GB
Drive de sistema Toshiba OCZ RD400 512GB
Cooling AMD Wraith Spire RGB
Arctic Freezer 33
Arctic Freezer 33 Plus
Corsair H100i V2
Corsair H115i
Noctua NH-D15
Noctua NH-L12
Noctua NH-U12S
Noctua NH-L9x65
Noctua NH-D15S
CRYORIG A40
CRYORIG H7 Quad Lumi
Fonte de alimentação Corsair CS750M
Caixa Benchtable

A nossa actual metodologia de teste consiste em correr o cliente do projecto de computação [email protected] durante períodos mínimos de meia hora e anotar a temperatura de equilíbrio, num teste que alia grande intensidade de processamento e utilidade prática.
Os coolers foram testados para a frequência stock e com overclock para 3,8Ghz, com 1,36V de vCore.
Para a avaliação do ruído dispomos de um medidor que apenas reporta valores acima de 30dB, pelo que a maioria dos comentários a esse respeito será sujeita à nossa impressão subjectiva. Todos os valores de dB eventualmente mencionados foram obtidos a 15 cm das ventoinhas. Recordamos que o sistema de testes se encontra numa benchtable aberta.
Todas as temperaturas do CPU foram obtidas, ou normalizadas para, a temperatura ambiente de 25ºC.

Em repouso o H7 Quad Lumi é tão eficaz como as restantes torres a ar testadas. E, com a ventoinha rodar a meras 320 RPM, é também praticamente inaudível.
Em carga, bate os dissipadores de baixo perfil, mas junta-se ao Noctua NH-U12S na cauda dos coolers tipo torre. Tal como no caso deste, acreditamos que tal se deva, pelo menos em parte, ao facto da ventoinha rodar a velocidade relativamente baixa, neste cenário, não tendo passado das 550 RPM. Isto resulta numa operação muito silenciosa, como seria de esperar.

Forçando a ventoinha à velocidade máxima de ~1600 RPM, o H7 Quad Lumi ganha 10ºC e “apanha” as restantes torres, apresentando resultados do mesmo nível. Nesta velocidade a ventoinha não esconde a sua presença, registando cerca de 33dB no nosso medidor. Longe de ser o mais incomodativo que ja passou pelo nosso sistema, parece-nos, ainda assim, desnecessário para uso normal, com a melhor opção a passar provavelmente por uma curva intermédia entre o modo automático e a máxima velocidade possível.

Com overclock a situação é um pouco análoga ao observado no teste stock, com o H7 Quad Lumi a bater facilmente os dissipadores de baixo perfil mas a ficar ligeiramente atrás da maioria das restantes torres. De novo, acreditamos que tal se deve, em parte, à velocidade de rotação da ventoinha, que até aqui se fica por umas relativamente comedidas 970 RPM, mantendo uma operação bastante silenciosa. A deslocação de ar pelo dissipador torna-se um pouco audível, mas nem chega a registar no nosso medidor de dB e acreditamos que passe totalmente despercebida num sistema fechado numa caixa.
Desta vez, a diferença para os restantes não é totalmente recuperada forçando a velocidade máxima. Não perde por muito, ainda assim, ficando apenas a 2ºC ou 3ºC do Arctic Freezer 33 e Noctua NH-U12S, os modelos mais directamente comparáveis.
Em relação ao modo automático o ganho é de 3ºC graus, o que também não nos perece o suficiente para compensar a perda de silêncio. Mas a decisão final cabe sempre a cada utilizador.

Conclusão

 

Nos nossos testes o Cryorig H7 Quad Lumi revelou performance competente e operação muito silenciosa, com a sensibilidade da ventoinha ao controlo PWM a favorecer este último aspecto em detrimento de temperaturas um pouco melhores. Quanto a nós, essa é a opção certa, pois tendemos a privilegiar o conforto de utilização, e a performance térmica ficou em bom nível, de qualquer maneira.

O grande destaque deste modelo vai, naturalmente, para o sistema de iluminação RGB integrado. A implementação desta funcionalidade é muito bem conseguida, com todo o sistema de iluminação a proporcionar grande intensidade luminosa e um elevado número de possibilidades de personalização. A inclusão de canais independentes para o logótipo do topo e a iluminação da base, em particular,  é o tipo de detalhe que pode realmente fazer a diferença para quem procura especificamente este tipo de soluções.

Pela negativa não podemos deixar de destacar o processo de montagem desnecessariamente complicado. Acreditamos ser um ponto com absoluta necessidade de ser revisto pela Cryorig, visto ser algo que se resolve com apenas alguns cêntimos de plástico.

O Cryorig H7 Quad Lumi encontra-se disponível no nosso mercado por 50€, o que nos parece um valor muito razoável para um cooler com um sistema de iluminação com o nível de complexidade que este modelo integra. Para todos os que procuram um cooler a ar que alie este tipo de funcionalidade a performance de bom nível, esta é uma excelente opção e leva o nosso recomendado.
Quem dispensa o RGB, no entanto, fará melhor em olhar para outros modelos, como o H7 original, que permite poupar alguns euros, ou modelos de valor semelhante e capacidade superior, como uma das variantes do modelo H5, da própria Cryorig.

A ZWAME agradece à CRYORIG a disponibilização do produto para análise.

Etiquetas
Close
Close